Benfica elimina Juventus e fará final em Turim

Os portugueses voltarão a Turim, palco da final, enquanto a torcida da Juve terá que ver a decisão pela TV

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Benfica segura a Juventus e vai à final pela segunda vez consecutiva
Benfica segura a Juventus e vai à final pela segunda vez consecutiva

A final da Liga Europa será improvável. Dona da casa na decisão, a Juventus ficou no 0 a 0 no jogo desta quinta-feira contra o Benfica e, por conta da vitória por 2 a 1 em Lisboa, é o time português quem irá decidir a competição pelo segundo ano seguido. O rival será o Sevilla, que marcou aos 48 minutos do segundo tempo na derrota por 3 a 1 para o Valencia, na casa do rival.

A decepção é enorme para a Juventus porque a equipe italiana, que inaugurou seu novo estádio em setembro de 2011, irá receber pela primeira vez a final da Liga Europa. Tinha tudo para estar no jogo do dia 14 de maio, mas serão os portugueses que voltarão a Turim, enquanto a torcida da Juve terá que ver a decisão pela TV.

Acabou sendo decisivo, assim, o gol do brasileiro Lima, que concorre a uma vaga na seleção portuguesa para a Copa, e que marcou a seis minutos do fim do jogo de ida, em Lisboa. Nesta quinta, coube aos portugueses segurar o resultado e seguir na busca de uma inédita quadrúplice coroa.

Isso depois de viver, exatamente há um ano, uma das piores fases da sua história. Na época, o Benfica perdeu para o Porto, no clássico da penúltima rodada, a liderança (e depois o título) do Português, foi batido pelo Chelsea na decisão da Liga Europa e pelo Vitória de Guimarães, em Lisboa, na final da Taça de Portugal. Tudo isso em exatos 15 dias.

Agora a situação pode ser totalmente inversa. O Benfica já é campeão português por antecipação, decide contra o Rio Ave a Copa da Liga Portuguesa (em 7 de maio) e a Taça de Portugal (18 de maio). No meio desses dois jogos, a final da Liga Europa. Onze dias para entrar para a história.

SURPRESA NA ESPANHA - Se em Turim faltou gols, na Espanha balançar as redes não foi problema. Na semifinal caseira da Liga Europa, o Valencia ia vencendo o Sevilla até os 48 minutos e meio do segundo tempo, mas, nunca cobrança de lateral, levou o gol que causou sua eliminação. Afinal, ao vencer por 2 a 0 em casa e perder de 3 a 1 fora, o time de Sevilha passou pelos gols fora.

Nesta quinta, precisando vencer por no mínimo 2 a 0 (para levar aos pênaltis), mas preferencialmente por três gols de diferença, o Valencia entrou em campo com uma formação ofensiva e abriu o placar logo aos 14 minutos, com o argelino Feghouli. Ele recebeu pela ponta direita, foi à linha de fundo, puxou para dentro e bateu alto.

O segundo foi de Jonas, aos 26. O brasileiro cabeceou, a bola bateu no travessão, pingou na área e voltou nas costas do goleiro Beto, que acabou empurrando contra. O placar ainda forçaria os pênaltis e por isso o Valencia seguiu atacando. Foi recompensado aos 35 minutos do segundo tempo, com o zagueiro francês Mathieu, pegando rebote após cobrança de escanteio.

Nos minutos finais, o Sevilla tentou o gol que daria a classificação à final da Liga Europa, pressionou, mas parava na sua própria limitação técnica. O brasileiro Diego Alves praticamente não teve que trabalhar.

A torcida do Valência já comemorava quando, aos 48 minutos do segundo tempo, uma cobrança de lateral foi para a cabeça de Fazio, que escorou. O camaronês Stephane M'bia subiu no meio da zaga rival e fez o gol da improvável classificação.

Leia tudo sobre: juventusliga europabenfica