"Vi Senna e pensei: 'é assim que eu quero pilotar'", diz Hamilton

Piloto postou texto em seu site em que conta como Ayrton Senna o influenciou e despertou sua paixão pelas corridas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Site oficial de Hamilton traz texto homenageando seu ídolo
Reprodução internet
Site oficial de Hamilton traz texto homenageando seu ídolo

O piloto britânico Lewis Hamilton fez uma homenagem para Ayrton Senna em razão dos 20 anos da morte do brasileiro. Em um texto longo postado em seu site oficial, ele conta como sua paixão pela corrida foi influenciada pela maneira de Ayrton de pilotar. "As pessoas dizem que eu tenho um estilo agressivo e às vezes eu não acho que isso é só culpa minha. Eu acho que é, em parte, porque eu assisti Ayrton Senna quando eu era jovem e pensei: 'É assim que eu quero pilotar quando tiver oportunidade'.", disse.

Veja aqui o especial que preparamos sobre os 20 anos sem Ayrton Senna. 

 

Íntegra do texto de Hamilton:

Todo mundo adora um vencedor. É assim que o mundo é. E Ayrton Senna foi um dos maiores vencedores que este esporte já teve. Mas mais do que isso. Ele era um verdadeiro herói, um personagem icônico que inspirou pessoas de todo o mundo. Ele causou uma impressão enorme em mim quando eu estava crescendo.

Nossa família morava em Stevenage quando eu era criança, e eu comecei a assistir à Fórmula 1 com meu pai quando eu tinha apenas quatro ou cinco anos de idade.

Eu amava carros. Na época, Ayrton Senna e Alain Prost foram os líderes do bloco, e eles imediatamente me chamaram a atenção. Ayrton sempre foi muito legal e tranquilo quando era entrevistado após a corrida. Além disso, as crianças são atraídas por cores. E eu amei o laranja e branco da McLaren e o capacete amarelo de Ayrton.

Eu comecei a assisti-lo e a seguir o seu sucesso e, quando fiquei um pouco mais velho, comecei a querer saber um pouco mais sobre o cara.

Minha família percebeu que eu estava interessado em sua condução, então, incentivou-me e comprou os livros que me contaram mais sobre o Senna homem, e na minha adolescência eu peguei mais na biblioteca.

Eu realmente vim a entender o seu caráter e apreciar a sua abordagem incrível para corridas. Eu soube que ele começou a correr quando era um garoto no Brasil, e que como eu tinha sido ajudado no kart por seu pai. Ele se mudou para a Inglaterra quando tinha cerca de vinte anos para perseguir seu sonho, e eu fiquei impressionado com essa dedicação.

Mas foi o fato de que Ayrton Senna era apenas um piloto completo que foi o mais importante para mim. Eu realmente me identifico com isso. É exatamente como eu me sinto. É por isso que eu sinto que eu tive essa conexão com ele desde criança.

Eu quero correr, e eu sinto como se ele fosse um dos únicos pilotos reais que vi. Ele era um completo contraste com Alain Prost e a batalha entre os dois foi épica e se tornou uma das grandes rivalidades desportivas de todos os tempos.

Prost era conhecido como o piloto mais inteligente. Ele era mais velho e parecia mais pensativo e preocupado. Ele tinha uma abordagem diferente de Senna, dentro e fora do carro. Mas Senna teve o talento bruto real. Ele o tinha em abundância. Ele foi capaz de mostrá-lo porque estava em um bom carro a maior parte do tempo, mas você tem que lembrar que ele só tem o carro bom porque tinha muita habilidade.

É fascinante agora olhar para trás, para os anos em que ele e Prost estavam competindo cabeça a cabeça nas McLarens no fim dos anos 80. Ambos os pilotos estavam no auge absoluto, e é tão emocionante até agora assistir as fitas dos dois disputando até chegar ao limite.

Uma boa parte da maneira que eu dirijo hoje é inspirada no jeito que eu o vi dirigir.

As pessoas dizem que eu tenho um estilo agressivo e às vezes eu não acho que isso é só culpa minha. Eu acho que é, em parte, porque eu assisti Ayrton Senna quando eu era jovem e pensei: "É assim que eu quero pilotar quando tiver oportunidade". E eu fui lá fora e tentei fazer isso na pista de kart. E toda a minha abordagem de corrida se desenvolveu a partir de então.

Ele também tinha uma personalidade tão magnética. Eu gostava particularmente de sua vulnerabilidade e sua abertura. Eu só o vi pessoalmente uma vez, um ano antes de ele morrer, mas aquilo deixou uma impressão duradoura em mim. Quando criança, você vê essas pessoas e acha que eles são super-heróis. Mas todo mundo tem fraquezas. E apesar de todo o seu brilho e suas conquistas, ele também as tinha.

Era fascinante como ele superou, e como ele era capaz de falar de forma tão eloquente sobre o que ele fez, incluindo os perigos envolvidos. Eu também ficava impressionado com o quanto ele era aberto sobre sua relação com Deus e com suas crenças.

Isso é algo com o qual eu cresci, mas falar sobre isso era reprovado por um monte de pessoas das quais eu estive perto quando era mais jovem, até mesmo alguns membros da minha família. Mas agora eu sinto que posso me abrir sobre isso. Isso não é por causa de Senna; é só porque eu sou mais velho agora. Mas é outra conexão.

Este 1º de maio será um dia de reflexão para mim. Lembro-me do Grande Prêmio de San Marino em 1994, há 20 anos, quando ele bateu, e para mim foi muito difícil mostrar as minhas emoções para a minha família, então eu fui para um lugar tranquilo.

Eu tinha apenas nove anos, e foi muito difícil por vários dias para eu realmente compreender a magnitude do que tinha acontecido... Seu herói se foi.

Ayrton Senna era uma lenda incrível que será lembrada e admirada para sempre. Ele tinha a qualidade rara da grandeza. Mesmo agora, você ainda pode aprender sobre a maneira como ele corria e pilotava.

Leia tudo sobre: Hamilton; Senna