Após confusão da rouparia, Cruzeiro teve que usar uniforme antigo

Torcedores ficaram surpresos e mostraram dúvida pelo uso da velha camisa, que acabou dando sorte

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

Raposa jogou com a camisa branca de 2013 e não o uniforme exclusivo feito para a Libertadores
Daniel Piris/Light Press/Textual
Raposa jogou com a camisa branca de 2013 e não o uniforme exclusivo feito para a Libertadores

O Cruzeiro fez o seu papel, venceu o Cerro Porteño (PAR) por 2 a 0, fora de casa, e garantiu vaga nas quartas de final da Copa Libertadores da América. No entanto, antes mesmo do confronto, um fato curioso chamou a atenção logo quando a Raposa pisou no gramado do estádio “La Olla Azulgrana”, casa dos paraguaios. Tendo lançado no início do ano um uniforme exclusivo para a disputa da Libertadores, o time celeste vestiu contra o Cerro Porteño (PAR) uma versão antiga de seu uniforme número dois. Indumentária do ano de 2013, utilizada na campanha do título brasileiro. Pelas redes sociais, torcedores mostraram dúvidas quanto à utilização do uniforme, justamente pela diretoria ter optado por um figurino específico para a competição continental. Motivo da troca Segundo apurou o Super FC, o uso do uniforme diferente do planejamento detalhado no começo da temporada, se deu pelo fato de os roupeiros do Cruzeiro terem cometido um equívoco. Os profissionais da rouparia levaram ao Paraguai camisas brancas, mas as antigas,  deixando em Belo Horizonte o uniforme exclusivo do torneio sul-americano. O time estrelado entrou em campo com a camisa branca, calção azul e meião azul. Isso, pois, como visitante, precisou utilizar seu uniforme reserva. Até mesmo pelo  fato de o Cerro Porteño, mandante,  vestir camisa listrada de azul e vinho, calção branco e meias brancas. O que o clube fala? Em contato com a reportagem, o supervisor de futebol estrelado Benecy Queiroz, responsável pelas viagens e acordos sobre os jogos na Libertadores, deu sua versão para o ocorrido. “O Cruzeiro sempre respeita o seu estatuto e utiliza o uniforme de acordo com sua convicção. Quis utilizar um uniforme diferente e assim o fez. O clube pode escolher a roupa que vai usar nos jogos, desde que respeite os termos estatutários”, justificou. Benecy ainda comentou o fato de o Cruzeiro ser o visitante e ter que respeitar regras da Conmebol. “É normal o time visitante mudar o uniforme. O Cerro usou um calção branco, portanto, não era possível usarmos um short da mesma cor. Não houve erro algum, foi tudo planejado”, completa. Apesar da declaração do dirigente, o Super FC obteve informações precisas de que, certamente, houve troca do material de jogo. Tanto é que nos confrontos com o Defensor (URU), no estádio Luis Franzini, em Montevidéu, e diante da Universidad de Chile (CHI), no estádio Nacional, em Santiago, a Raposa vestiu o novo uniforme branco, material específico da Libertadores.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposaLIBERTADORESuniformebrancorouparia