Regina volta de férias e não anuncia ações

A servidora pública apostilada Regina Rezende, detentora de um dos supersalários da prefeitura, que chegou a tirar férias apenas um mês após assumir a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), setor mergulhado em uma situação caótica marcada por escândalos de corrupção

iG Minas Gerais | Da Redação |

A servidora pública apostilada Regina Rezende, detentora de um dos supersalários da prefeitura, que chegou a tirar férias apenas um mês após assumir a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), setor mergulhado em uma situação caótica marcada por escândalos de corrupção, ainda não divulgou qualquer ação para continuar as auditorias que detectaram irregularidades graves e desvio de recursos públicos nos convênios com ONGs. Nenhuma medida nesse sentido também foi anunciada pelo prefeito Carlaile desde que ele retornou ao cargo, apos afastamento médico, em fevereiro.

Regina retornou à Semas no dia 22, após desfrutar, segundo amigos, de um cruzeiro pelo Mediterrâneo, que incluiu um passeio pelo Rio Nilo.Sua volta foi antecipada em nove dias, já que a prefeitura havia prorrogado as férias da secretária de 17 para 30 dias no “Órgão Oficial” do dia 8 de abril, após alegar um erro da Secretaria da Administração sem contudo comprová-lo  na primeira publicação.

A reportagem tentou falar com Regina por telefone para saber por que ela decidiu tirar férias logo depois de assumir a Semas, mas ela não retornou as ligações. A assessoria de imprensa da prefeitura também foi procurada e solicitou que as perguntas fossem enviadas por e-mail, mas não respondeu a nenhuma das solicitações. Aliás, essa atitude desrespeitosa com os leitores do jornal tem virado praxe.

Mordomias

Regina Rezende desfruta de várias mordomias. Em março, ela recebeu um salário bruto de R$ 47 mil. A secretária ainda é contemplada de forma ilegal com R$ 5.000 mensais ao pagar com recursos da própria secretaria o aluguel de um imóvel de propriedade do seu filho Matheus Rezende. Na casa funciona um dos oito Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

Ao tentar justificar o salário de Regina, o secretário de Administração, Wagner Lara, disse que a remuneração de março incluiu as férias da funcionária. Lara disse que o teto remuneratório de R$ 21.538,02 “está sendo aplicado”, embora a remuneração de Regina mostre valores superiores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave