Internet ruim em seis estádios

Ministro Paulo Bernardo admite problemas entre arenas e empresas de telefonia celular

iG Minas Gerais |

Offline. Só assim, com o Mineirão vazio, é possível conseguir uma conexão de internet no Mineirão
Foto: ANGELO PETTINATI / O TEMPO
Offline. Só assim, com o Mineirão vazio, é possível conseguir uma conexão de internet no Mineirão

BRASÍLIA. O ministro Paulo Bernardo, das Comunicações, disse nessa quarta que a internet não deve funcionar adequadamente em metade dos estádios que receberão os jogos da Copa do Mundo. Segundo ele, as teles ainda não foram autorizadas por seis estádios a instalar as antenas extras para o funcionamento da internet Wi-Fi na área interna das arenas e que, sem elas, a rede não conseguirá dar vazão a demanda dos torcedores.  

“Posso estar sendo muito pessimista, mas mesmo que façam agora o acordo para instalação (entre estádios e teles), dificilmente vai dar tempo de fazer um serviço de boa qualidade”, afirmou o ministro. Na lista dos estádios que não terão acesso suficiente à internet, o Bernardo citou o Itaquerão, em São Paulo, que será palco da abertura dos jogos. Além dele, foram citados a Arena da Baixada em Curitiba e o Mineirão em Belo Horizonte.

O ministro disse ainda que não tinha em mãos, no momento da entrevista, a relação completa dos estádios que serão afetados.

“É muito difícil quando os administradores não concordam, porque não podemos obrigá-los a fazer, mas isso daria uma condição melhor de qualidade. Então, vai ficar deficiente o serviço do ponto de vista de dados nesses estádios”, completou o ministro das Comunicações.

Paulo Bernardo defendeu que a instalação de antenas para atender a demanda de aparelhos móveis nas cidades-sede dos jogos da Copa era uma obrigação imposta às teles e que o serviço está sendo feito. As empresas terão até maio para concluir esses trabalhos. Já o reforço do sinal dentro dos estádios, por outro lado, não era uma obrigação. “Nós temos também o compromisso de fazer a transmissão dos jogos pela televisão, e isso está praticamente pronto, equacionado”, destacou Paulo Bernardo.

HISTÓRICO. O problema de cobertura já foi sentido durante a Copa das Confederações em 2013, um ensaio para a Copa do Mundo, com 73 mil torcedores no Maracanã mal podendo mandar uma mensagem de texto para comemorar a vitória do Brasil por 3 a 0 sobre a Espanha na final.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou recentemente que estava profundamente preocupado já que, na maioria dos casos, as comunicações para os torcedores e para a imprensa não serão totalmente testadas antes do início da Copa, em 12 de junho. A situação se torna ainda mais preocupante quando se considera que o estádio que abrirá o torneio – a Arena Corinthians – é um dos que apresenta problemas, segundo disse o próprio ministro Paulo Bernardo.

Em acordo com o governo federal, as teles se comprometeram a disponibilizar o sinal 4G nas cidades que sediarão a Copa, mas não podem garantir o acesso nas arenas, já que isso depende de um acordo com a administração dos estádios.

Aeroportos

Tranquilidade. Na última semana, a presidente Dilma Rousseff afirmou em Brasília que estava “tranquila” em relação aos aeroportos das 12 cidades que receberão a Copa do Mundo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave