Avião movido a luz solar dará volta ao mundo em cinco dias

Projeto anterior cruzou o Atlântico e os Estado Unidos de ponta a ponta

iG Minas Gerais | Da redação |

Dimensões. Envergadura da aeronave é de 72 m, para alocar placas solares, e o peso total não passa de 2,5 toneladas
SOLARIMPULSE/divulgação
Dimensões. Envergadura da aeronave é de 72 m, para alocar placas solares, e o peso total não passa de 2,5 toneladas

Um ultraleve movido a luz solar será o primeiro a dar uma volta ao mundo sem uma gota de combustível. O Solar Impulse 2 sairá do Golfo Pérsico e irá para a Índia e para o oceano Pacífico. A viagem está marcada para começar em março de 2015.

Durante o trajeto, dois pilotos se revezarão na cabine de 3,8 m². O espaço interno é suficiente para estocar comida, água, paraquedas e outros equipamentos de segurança. A viagem será realizada durante cinco dias consecutivos.

A iniciativa do projeto foi do explorador suíço Bertrand Piccard. Ele percorreu o mundo em balão sem escalas em 1999 e sua família tem fama exploratória. Seu avô, Auguste Piccard (1884-1962), foi um pioneiro no uso de balões para grandes altitudes e de batiscafos para explorar o fundo do mar.

O objetivo dos criadores do ultraleve, Piccard e André Borschberg, é conscientizar a sociedade sobre a necessidade de economizar os recursos energéticos do planeta e mostrar que isso é possível. O avião seria a prova de que as novas tecnologias contribuem para o uso de combustíveis renováveis e novas soluções de transporte.

“Esse avião pode voar um mês seguido, mas o que fará o piloto? Temos um avião sustentável em termos de energia, mas agora precisamos de desenvolver um piloto sustentável”, brincou Borschberg, em entrevista à Associated Press.

Outras façanhas. O primeiro protótipo desse tipo ficou conhecido por ter atravessado o Atlântico e os Estados Unidos de costa a costa somente com energia solar. Durante apresentação do novo avião, os pilotos destacaram algumas mudanças em relação ao primeiro protótipo que deram mais eficiência e autonomia ao Solar Impulse 2.

A mais notável foi o número de células solares, localizadas nas asas e no teto do avião, que aumentaram de 12 mil para quase 18 mil. Elas alimentam quatro motores elétricos, cada um de 17,5 cavalos.

Além disso, a envergadura passou de 63,4 m para 72 m, e a fuselagem, de fibra de carbono, ficou mais leve. O peso total do avião não passa de 2,5 toneladas. A nova versão recebe a energia solar por cerca de 17.200 células, e sua extensão é de 72 m, a mesma ou até maior do que as dos aviões de passageiros.

Tecnologia Avanço. O projeto do avião movido à luz solar possibilitou aumentar a eficiência e reduzir o peso das baterias elétricas, melhorando o desempenho de baterias de computadores e celulares.

 

Flash

Na raça. O primeiro voo do Solar Impulse, cruzando os EUA, durou 105 horas e 41 minutos e os pilotos levaram a bordo apenas água

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave