Grandes jogadores, grandes erros, grandes perdas e conquistas

iG Minas Gerais |

A entrevista do volante Pierre sobre a missão do Atlético, nesta noite, contra o Nacional de Medellín, pode ser traduzida e resumida da seguinte forma: “Se tivermos vergonha na cara, vamos nos classificar”. Fisicamente, os dois times se equivalem; em termos de elenco, o Atlético tem jogadores melhores e conta com a força especial da torcida no Independência. Óbvio que não é tão simples assim, já que em competições como a Libertadores da América, nesta fase, a emoção é permanente, e tudo pode acontecer, inclusive o pior eliminar o melhor, pois os dois jogos valem muito. Onde o bicho pega Um gol faz diferença enorme, em casa ou fora. Mesma situação do Cruzeiro, ontem, em Assunção, e dos jogos decisivos de terça-feira. O Defensor só eliminou o The Strongest porque tem jogadores “diferenciados”. O experiente Olivera e o emergente De Arrascaeta fizeram gols espetaculares que garantiram os 2 a 0 e a decisão por pênaltis, em Montevidéu. Dinheiro e prestígio Quando há muito dinheiro e prestígio em jogo, os times se equivalem em determinação, e só jogadores especiais ou alguma falha individual para dar a vitória a uma das partes. O futebol tem tantos fatores que tudo fica na base do “depende”. Não deu! O Velez, melhor campanha na primeira fase, tinha que fazer em casa, no mínimo, um gol no Nacional do Paraguai para decidir nos pênaltis. Martelou até que conseguiu, aos 29 do segundo tempo. Mas os paraguaios reagiram e empataram três minutos depois, de pênalti, com direito a expulsão do zagueiro do Velez que o cometeu: 1 a 1 e desespero total do Velez que foi com tudo, pois teria que fazer mais dois. Reação e sufoco O time argentino conseguiu chegar ao segundo gol aos 39 do segundo tempo, mas teve mais um jogador expulso, e, a partir daí, até o goleiro foi para a área paraguaia. Em um contra-ataque, os paraguaios, que já estavam bem na fita com o resultado, empataram, com Oruê, que sem goleiro e sem marcadores no seu encalço fez um gol parecido com estes que se faz em peladas. Haja coração, e adeus, Velez!

Desinformação I Passou despercebido pela imprensa em Belo Horizonte, mas milhares de torcedores foram induzidos ao erro por grave falha de comunicação da CBF, FMF e, por consequência, das redes SporTV e ESPN. A Arena do Jacaré passa por reparos no gramado, mas a CBF informou que a segunda partida da semifinal entre Atlético x Flamengo, pela Copa Brasil Sub-17, no sábado, seria lá.

Desinformação II Com a goleada que o “Galinho” deu no Flamengo, no Rio, veículos com placas de dezenas de cidades, além de Sete Lagoas, chegaram à Arena com famílias inteiras para assistir ao jogo, que foi realizado no Farião, em Divinópolis, a 171 km de distância. Caso funcionasse, o Estatuto do Torcedor deveria punir à FMF e CBF, entretanto, nem pedido de desculpas houve a esses torcedores que foram lá.

Parabéns, Coelhão! Ontem foi aniversário do América, que chegou aos 102 anos e com a esperança geral, que continue com a ótima campanha e volte à Série A de 2015. O âncora da Rede Bandeirantes, rádio e TV Ricardo Boechat prestou homenagem ao clube em seu ótimo programa na Rádio BandNews FM 89,5 Mhz. Tocou o hino americano e, perguntado por que torce pelo América, simplificou a resposta: “Porque torço. Se, em Minas, a maioria é Atlético e Cruzeiro, eu sou América e pronto!”. Além de dizer que a camisa americana é uma das mais bonitas do futebol mundial.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave