Arte, drama e densidade

Sarau destaca obra da poetisa Orides Fontela

iG Minas Gerais | Lucas Buzatti |

Interpretação. O poeta e performer Wilmar Silva de Andrade vai revisitar a obra da poetisa paulista
GLÁUCIA RODRIGUES/DIVULGAÇÃO
Interpretação. O poeta e performer Wilmar Silva de Andrade vai revisitar a obra da poetisa paulista

“Eu assassinei a palavra e tenho as mãos vivas em sangue”. O forte verso compõe o poema “Rosa”, de 1988, escrito por Orides Fontela (1940-1998), uma das mais importantes mulheres da poesia brasileira. Calcada em temas envoltos por uma densidade dramática e reflexiva, a obra da poeta paulista será celebrada na edição do Café com Poesia, que acontece nesta sexta, no Museu das Minas e do Metal.

O evento será conduzido pelo poeta Wilmar Silva de Andrade e pela poeta e ensaísta Vera Casa Nova. “Vamos trazer a Orides Fontela real, selvagem, dramática. Mostrar a densidade que marcou a obra dela em uma apresentação pautada pela emoção”, explica Wilmar. “A poesia dela tocava o outro, chamava o leitor para reconstruir seus poemas. Ler Orides é reinventar sua escrita”.

Rosas e girassóis, elementos simbólicos da obra de Orides Fontela, serão distribuídas na apresentação, que vai revisitar poemas de todos os seus sete livros. “A gente apreende mais, se emociona mais, quando a arte é passada de forma lúdica, mesmo quando tratamos de temas dramáticos e fortes”, defende Wilmar Silva de Andrade.

Para o poeta mineiro, o reconhecimento a Orides Fontela é tímido, tendo em vista a importância de sua poesia. “Ela quebrou o preconceito que envolve a mulher que produz arte. Veio de uma família paupérrima e produziu poesia com uma densidade violentamente erudita. A escrita de Orides trazia dramas do ser humano que transcendem barreiras temporais, como o silêncio, a morte, o amor agápe e a natureza”, afirma Wilmar, completando que Orides foi uma poeta da grandeza de Hilda Hist. “Ela nunca se rendeu a nenhum movimento, seja de vanguarda ou de ruptura de tradições. Tinha uma escrita própria, universal e muito reflexiva”.

Agenda

O QUÊ. Café com Poesia - “Girassóis a Orides Fontela”

QUANDO. Nesta sexta, às 19h30

ONDE. Museu das Minas e do Metal (praça da Liberdade)

QUANTO. Entrada gratuita

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave