Saúde e educação mantêm paralisação

Servidores da saúde de Betim decidiram na quarta-feira (30) continuar com os serviços paralisados; educadores também estão de braços cruzados, desde o dia 15 de março

iG Minas Gerais | Lisley Alvarenga |

Saúde e educação protestaram na Câmara na terça (29)
João Lêus
Saúde e educação protestaram na Câmara na terça (29)

Os servidores da saúde de Betim decidiram na última quarta-feira (30), em assembleia da categoria, continuar com os serviços paralisados até a próxima segunda-feira (5). Os trabalhadores da educação, que também estão de braços cruzados, desde o dia 15 de março, deixando cerca de 30 mil alunos sem aula, também anunciaram que vão continuar paralisados até terça-feira (6).

Os servidores da educação alegaram que, como não houve avanços na negociação com a prefeitura, a greve pode continuar por tempo indeterminado. “Vamos decidir isso na próxima assembleia, que acontece na terça (6), às 9h. A suspensão da mesa geral de negociações foi um desrespeito com os servidores. Isso provou que a prefeitura continua com um política de não valorização dos servidores efetivos”, afirmou o coordenador do Sindicato Único das Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), Luiz Fernando Souza, ao ressaltar que, na segunda (5), a categoria vai se reunir com representantes da Secretaria de Educação.

Na última terça (29), a categoria saiu revoltada da Câmara de Vereadores após projeto que incluiu o educador infantil no Plano de Cargos, Carreiras e Vencimento (PCCV) prometido pelo governo não ter sido incluído na pauta de votação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave