Para diretor do Sinmed, saúde corre risco de ter um “colapso”

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |

Para o diretor do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG), o clínico César Miranda dos Santos, a saúde de Betim corre risco de ter um “colapso”. “É preciso que os governantes, independentemente de partidos, deixem de ver a saúde com uma visão simplista. É preciso que o enfrentamento dos problemas se torne uma política de Estado”, avalia Santos.

Há 16 anos atuando no município, ele ressalta que o principal entrave para os médicos é a falta de readequação salarial. “Lamentavelmente, nos últimos anos, o município estagnou a remuneração e o plano de carreira da categoria. Quando ingressei aqui, na década de 90, o salário era referência. Vários profissionais, como eu, foram atraídos pela boa remuneração. No entanto, com o passar dos anos, os salários ficaram com déficit de cerca de 35% em relação à região metropolitana de Belo Horizonte. Com isso, muitos especialistas abriram mão de trabalhar na cidade”, explica.

Ele também lamenta o fato de o Executivo não ter convidado o sindicato para a mesa geral de negociação. “A nossa pauta de reivindicações foi entregue no início do ano”<MC>. A prefeitura afirmou que o Sinmed-MG participa de todas as reuniões da mesa gestora.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave