Santos nega atraso no pagamento ao Inter por Damião

Clube praiano alegou que tem prazo de cinco dias úteis para converter moeda e transferir os valores sem pagar multa

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Leandro Damião comemora primeiro gol marcado com a camisa do Santos
SANTOS FC/SITE OFICIAL/DIVULGAÇÃO
Leandro Damião comemora primeiro gol marcado com a camisa do Santos

O Santos promete pagar, provavelmente na próxima semana, a penúltima das quatro parcelas da compra dos direitos econômicos de Leandro Damião, vencida nesta quarta-feira. São 3 milhões de euros que o fundo de investimentos Doyen Sports vai mandar para o clube e que antes de serem repassados ao Internacional terão de ser convertidos em reais.

"O dinheiro está sendo internado no Brasil e o Santos tem cinco dias úteis para isso acontecer sem que haja multa", explicou o Santos, por e-mail. A dívida que do Santos tem com o clube gaúcho é de R$ 5 milhões, referentes à contratação do meia Lucas Lima, e que a sua parceira ficou de quitar dentro de poucos dias.

"O pagamento (de Lucas Lima ao Internacional) de fato ainda não foi efetuado. Na última semana, por ocasião da vinda ao Brasil do CEO da Doyen Sports, Nelio Lucas, para fazer uma palestra sobre a empresa, ele foi indagado pelo presidente Odílio Rodrigues. O CEO da Doyen telefonou ao presidente do Internacional e o informou que o pagamento estará sendo realizado nos próximos dias". Essa é a resposta oficial da direção santista.

Na exposição que fez aos conselheiros, em reunião no fim de fevereiro, o Comitê de Gestão confirmou que os direitos de Leandro Damião serão pagos pela Doyen em quatro parcelas de três milhões de euros e mais um milhão de euros, aproximadamente R$ 3 3 milhões, que cabem ao Santos quitar, na mesma data do vencimento da quarta prestação, 15 de novembro. A primeira foi paga dia 16 de dezembro, a segunda em 4 de fevereiro.

A Doyen comprou mas como não quer ser dona de jogador, repassou os direitos de Damião ao Santos, que terá três anos para pagar os 12 milhões de euros, acrescidos de juros em euros. A esperança é de que Damião volte a jogar como em 2011, quando foi o artilheiro do Campeonato Gaúcho com 17 gols em 13 jogos, além de ter sido eleito o melhor jogador da competição, abrindo a perspectiva de venda ao futebol europeu por pelo menos 18 milhões de euros, com o lucro sendo dividido entre Santos em Doyen.

A segunda possibilidade é o Santos usar seus próprios recursos para pagar a Doyen e se tornar dono de fato e de direito de Damião. Isso dificilmente deve acontecer porque as contas do ano passado do clube apresentaram déficit de R$ 40 milhões, e a dívida acumulada aumentou em mais de 40% , chegando a R$ 190 milhões. A garantia que a Doyen tem de reembolso é a cota de TV de 2017, com o valor aproximado de R$ 53 milhões.

A necessidade de valorizar o quanto antes Leandro Damião é um dos problemas que mais atormentam Oswaldo de Oliveira, depois da perda do título paulista para o Ituano e apenas dois empates nas duas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro. Contra o Coritiba, sábado passado, no Couto Pereira, o treinador trocou o atacante por Geuvânio no intervalo do primeiro para o segundo tempo. E agora não sabe se vale a pena correr o risco de mantê-lo como titular para o jogo contra o Grêmio, sábado à noite, na Vila Belmiro.

Leia tudo sobre: internacionalsantosdoyensportsleandro damiao