Julgamento que pode rebaixar a Lusa será em 7 de maio

Por ter abandonado a primeira partida que ia fazer na Série B, Portuguesa pode até ser excluída do campeonato

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Vitória do torcedor se soma à liminar conseguida pelo próprio clube na última quarta-feira
Reprodução/Portuguesa
Vitória do torcedor se soma à liminar conseguida pelo próprio clube na última quarta-feira

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) marcou para a próxima quarta-feira, dia 7 de maio, às 14 horas, o julgamento da Portuguesa pelo abandono de jogo na primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A Lusa poderá até ser excluída do torneio e rebaixada à Série C. No dia 7 de maio, também será realizada a convocação da seleção brasileira na sede da CBF no período da manhã. Independentemente do resultado, caberá recurso ao Pleno, a segunda instância do STJD.

Por ter deixado o gramado aos 17 minutos do primeiro tempo da partida contra o Joinville, a Portuguesa foi denunciada nos artigos 205 e 231 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que preveem perda de pontos para o rival, exclusão do campeonato e multa de até R$ 100 mil. O clube foi enquadrado ainda no artigo 69-2 do Código Disciplinar da Fifa, que também pode acarretar a exclusão da Série B.

O técnico Argel Fucks, o dirigente Marcos Lico, que também é filho do presidente, e Ilídio Lico serão denunciados no mesmo artigo do CBJD, mas com punições diferentes. Enquanto o treinador pode ser suspenso de 6 a 12 partidas, os dois dirigentes estão sujeitos apenas mais duras, com suspensão de 180 a 360 dias mais multa de até R$ 100 mil. Marcos Lico foi denunciado ainda no artigo 258-B,o que pode lhe render 15 a 180 dias de suspensão.

Para abandonar a partida, a Portuguesa alegou que seu presidente foi intimado a obedecer a uma liminar, concedida ao torcedor Renato Azevedo, que a garantia na Série A. De acordo com a versão oficial do clube, Ilídio poderia ser preso se não respeitasse a decisão judicial. O procurador-geral do STJD, Paulo Schimitt, classificou o episódio como "encenação, porque não havia ordem judicial". O procurador também afirmou que vai utilizar essa argumentação no julgamento.

No final do ano passado, a Portuguesa foi punida pela escalação irregular do meia Héverton com a perda de quatro pontos pelo STJD e acabou sendo rebaixada no Campeonato Brasileiro. O clube ingressou na Justiça comum e até conseguiu uma liminar favorável para retornar à Série A. A ação, no entanto, foi cassada pela CBF, a exemplo de todas as outras protocoladas pelos torcedores da Lusa.

Leia tudo sobre: portuguesalusaserie bfutebolstjd