Carros flex são esperança de recuperação do mercado

iG Minas Gerais |

Vantagem. No país, etanol é vantajoso quando é vendido por, no máximo, 70% do preço da gasolina
LEO FONTES / O TEMPO
Vantagem. No país, etanol é vantajoso quando é vendido por, no máximo, 70% do preço da gasolina

Os carros flex são a esperança do setor sucroenergético de recuperar mercado nos próximos anos. “Hoje, 60% da frota brasileira é de carros flex. Eles não estão usando etanol, mas podem vir a usar se as bases voltarem a ser favoráveis”, afirma o presidente da Siamig, Mário Campos.

O lançamento desses veículos, em 2003, foi um dos principais estímulos para o setor se lançar na onda de investimentos entre 2005 e 2010. “O potencial de consumo é gigante”, diz Campos.

O aumento da frota também é um fator favorável ao setor. Entre 2002 e 2012, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a frota dobrou no país.

Além disso, ele aposta em uma nova onda de valorização dos combustíveis não poluentes, já que a fase mais aguda da crise internacional já passou. “Os debates ambientais estão voltando”, diz ele. Números

R$ 42,42 bilhões é quanto o setor sucroenergético deve

R$ 100 por tonelada é o montante da dívida dos empresários

80 mil pessoas trabalham diretamente no setor em MG

8% é quanto a dívida cresceu desde a última safra

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave