Cumprimentos a muares

iG Minas Gerais |

Diz o dito popular que quem conversa demais dá bom dia a cavalo. Tenho escrito aqui semanalmente sobre esse nó cego em que o Brasil se vê atado, desde que essa seita do PT assumiu o aparelhamento do Estado. Depois dessa Copa do Mundo, vamos acordar do pesadelo e curtir a ressaca da irresponsabilidade. Vamos viver outros campeonatos e novos escândalos além dos existentes que apenas tiveram uma pausa, Petrobras, Transposição do São Francisco, eleições e as enchentes do Norte do país. Lá, como aqui, andaram querendo ensinar caminho para as águas e como é sabido desde que o mundo é mundo que o homem não pode cercar fogo de morro acima nem água de morro abaixo, do ex-Luiz acaba de chegar de Portugal, e voltou falando bobagem, como sempre. Dessa vez, afirma que a decisão do Egrégio STF foi 80% política e 20% jurídica. Mais que ninguém, ele deve saber quem são os ministros, já que oito deles foram nomeados pelo PT. Se acertaram juridicamente em 20%, o prejuízo da nação foi de 20% de todo o mensalão, e isso é muito dinheiro. Lado outro, serve como confissão expressa de que houve roubo, e a discordância é quanto ao “quantum”, toda1 é ladrão. E o que estamos afirmando é que essa cambada é composta de ladrões, nem mais nem menos. Corre nas redes sociais uma lição de como começar um discurso com inteligência. Um exemplo de oratória e habilidade política aconteceu há algum tempo na ONU, que fez todo o plenário sorrir. Falava o representante de Israel: “Antes de começar o meu discurso, quero contar-lhes algo inédito sobre Moisés: quando Moisés golpeou a rocha com seu cajado, e dela saiu água, pensou imediatamente: ‘que boa oportunidade para tomar um banho!’ Tirou a roupa, deixou-a junto da pedra e entrou n’ água. Quando acabou de banhar-se e quis vestir-se, sua roupa tinha sumido! Os palestinos haviam-na roubado.” Um representante da Palestina de pronto levantou-se furioso e bradou: “Que mentira boba e descabida! Nem havia palestinos naquela época”. O representante de Israel então sorriu e afirmou: muito bem, então, agora que ficou bem claro quem chegou primeiro a esse território e quem foram os invasores, posso, enfim, começar o meu discurso”. Se um discurso semelhante fosse aplicado no Brasil, seria mais ou menos assim: em 1979 os governos militares, depois de salvarem o Brasil do comunismo, e o prepararem para um futuro brilhante, resolveram iniciar a abertura política e se retirar do poder, preparando inclusive uma Lei de Anistia, para perdoar até mesmo os traidores da pátria, entre eles muitos assassinos, sequestradores e assaltantes. Mas o PT roubou toda a minuta desses documentos! Aí, com certeza, uma voz petista, raivosa, diria: “Mas em 1979 o PT nem existia!” Então podemos afirmar com absoluta certeza que o PT nada fez para a democratização e abertura política do país, nem para seu desenvolvimento, pelo contrário, condenou-o ao atraso e continua a dar bom dia a cavalos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave