Polícia apresenta homens que atuavam em quadrilhas diferentes de Betim

Suspeitos trabalhavam na dolagem, distribuição e venda de entorpecentes; um dos suspeitos era responsável pela decisão sobre ataques a facções criminosas rivais

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Polícia Civil de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, apresentou na sede da Delegacia Regional do município, nesta terça-feira (29), nove suspeitos de participação em duas organizações criminosas que atuam em regiões diferentes da cidade na venda de entorpecentes.

Os presos, detidos no dia 6 de abril, Stefano Fernandes Lima Júnior, de 29 anos, Ricardo Henrique Silva Alves, de 24, Leonardo da Cruz, Tiago Gomide Nunes e Edrielli Carla Moraes Ferreira, todos de 26, integravam uma quadrilha que atuava nos bairros Bandeirinha e PTB.

Já Igor Martins dos Santos, de 25 anos, Willian Max Louriano, de 26, Fábio Alves dos Santos, de 25, e Raiaty da Silva Dias, também de 25, que integravam a organização chamada “Família CPL”, foram detidos no dia 16 deste mês. Todos trabalhavam na dolagem e na embalagem de cocaína que seria distribuída no bairro Capelinha.

A operação foi coordenadas pelos delegados Kleyverson Rezende e Vinícius Augusto de Souza Dias apontaram que o suspeito Stefano atuava na gerência do tráfico de drogas do bairro Bandeirinhas. Ele era o responsável ativo na distribuição de entorpecentes pela organização.

Preso no dia 6, partia dele a decisão sobre ataques a facções criminosas rivais. O suspeito foi detido quando saía de sua casa no bairro PTB, com uma pistola calibre 9mm, da marca Bull Cherokee, 29 munições de mesmo calibre, 408 gramas de crack e 126 gramas de cocaína.

Leonardo, Tiago e Edrielli também foram presos no mesmo dia, no Centro do município, no momento em que repassariam entorpecentes para outra pessoa, que conseguiu fugir. Com eles, a polícia apreendeu duas buchas de maconha e 54 gramas de cocaína, distribuídas em 146 papelotes para venda.

Já o suspeito Ricardo foi preso em São Joaquim de Bicas, também na Grande BH, com nove pedras de crack prontas para venda. Na ocasião, ele assumiu que vendia entorpecentes no bairro Pedra Branca.

Com os quatro suspeitos da outra organização criminosa foram apreendidos aproximadamente 160 gramas de cocaína pura.

Com informações da Polícia Civil

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave