Amil anuncia saída do projeto do time feminino de Campinas

Empresa justificou opção por motivo de estratégia de marketing; equipe precisará de alto investimento para manter suas principais peças

iG Minas Gerais |

José Roberto Guimarães garante que segundo jogo não será fácil
Vôlei Amil/Divulgação
José Roberto Guimarães garante que segundo jogo não será fácil

O time de vôlei feminino do Campinas pode estar com os dias contados. Nesta terça-feira, a empresa Amil, patrocinadora master do time que chegou à semifinal das duas últimas edições da Superliga, divulgou comunicado anunciando sua saída por motivos estratégicos de marketing.

Desta forma, a equipe irá precisar de um outro patrocinador para continuar participando do maior torneio do país. Não bastando isso, será necessário uma empresa com um alto investimento para que o time não perca suas grandes estrelas, como a ponta Natália, a oposta Tandara e as centrais Walewska e Carol Gattaz. Caso o fim do time seja confirmado, estas jogadoras terão que procurar por outro clube que consiga arcar com seus altos salários.

Um outro empecilho para as atletas é a pontuação que possuem no ranking, onde os times que, teoricamente, possuem condições financeiras de contratá-las, terão que ter apenas duas jogadoras de sete pontos no elenco. Equipes como o Sesi-SP e Molico-Nestlé já contam com esse número de jogadoras, ao contrário do Unilever, que não possui nenhuma peça com tal pontuação.

Quem também fica perdida nesta história é a oposto Monique Pavão, que havia acertado sua transferência para o time após defender o Banana Boat-Praia Clube.

Depois de se ficar na segunda posição ao final da fase de classificação da Superliga 2013/2014, o Amil caiu nas semis para o Unilever e terminou a competição na terceira posição.

Antes mesmo do torneio acabar, o técnico José Roberto Guimarães já havia anunciado que não permaneceria no comando, dedicando-se exclusivamente à seleção brasileiro. Seu assistente Paulo Coco seria o substituto imediato.

No entanto, agora será necessário esperar algum tempo para saber o que se sucederá do projeto campineiro.

Leia, na íntegra, a nota divulgada.

A direção da Amil decidiu nesta terça-feira encerrar o patrocínio ao time de vôlei feminino de Campinas. A medida foi tomada em função de reposicionamento de estratégia de marketing. Em nenhum momento a empresa questionou os resultados obtidos por um projeto vitorioso e que conquistou não só a região de Campinas, sede do projeto, mas todo o Brasil.

A Amil sente-se orgulhosa de ter montado, em tão pouco tempo, uma estrutura considerada uma das melhores do país e criado uma equipe de alto nível, que chegou por dois anos consecutivos à fase semifinal da Superliga, principal competição nacional da modalidade.