Microsoft e ONU criam tecnologia que prevê degradação ambiental

Sistema de código aberto, denominada Madingley, permite que cientistas conheçam como interagem os organismos em um dado ecossistema e respondam a perguntas-chave

iG Minas Gerais | Da Redação |

Ministério Público quer acabar com a mineração em áreas de preservação ambiental nas serras da Piedade e da Canastra.
Ministério Público quer acabar com a mineração em áreas de preservação ambiental nas serras da Piedade e da Canastra.

A empresa de informática Microsoft e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) desenvolveram o primeiro sistema de simulação virtual capaz de prever a degradação do meio ambiente e o futuro da terra.

A tecnologia de código aberto, denominada Madingley, permite que os cientistas conheçam como interagem todos os organismos em um dado ecossistema e respondam a perguntas-chave, informou o Pnuma em comunicado.

Quais serão os efeitos da ação humana sobre a natureza? Durante quanto tempo teremos recursos necessários à vida? O que aconteceria em um determinado ecossistema se se extinguisse uma abelha? Essas são algumas das perguntas a que se tentará dar resposta, aplicando o programa a qualquer sistema marinho ou terrestre.

“Madingley é uma nova tecnologia que oferece à comunidade científica e aos líderes mundiais uma ferramenta vital para prever como formas de desenvolvimento não sustentável podem afetar o mundo natural”, explicou o diretor executivo do Pnuma, Achim Steiner.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave