Dupla expulsa de escola invade local, faz estrago e deixa ameaças

Eles bagunçaram o pátio, jogaram ácido no chão, estragam quadros e objetos, defecaram no chão e deixaram bilhetes dizendo que iriam balear a escola

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Uma escola municipal tem sido alvo de vandalismo de alunos expulsos em Passos, no Sul de Minas. Nessa segunda-feira (28), o local foi invadido por eles e todo revirado. A diretora da escola encontrou o piso manchado por ácido e fezes no chão quando chegou para o início das aulas. Eles também deixaram diversos bilhetes ameaçando a instituição.

Segundo a Polícia Militar, a Escola Municipal Hilarino Moraes, localizada no bairro Aclimação, teria sido invadido na semana anterior e, por isso, o estrago só foi percebido nessa segunda-feira, após o fim de semana. O pátio estava cheio de lixo e fezes no chão e alguns objetos estavam danificados, como quadros e materiais. O chão também estava manchado porque os suspeitos jogaram ácido de limpeza.

As suspeitas recaíram sobre dois irmãos, ex-alunos da escola, um de 13 anos, que foi suspenso na última semana e nunca mais voltou as aulas, e outro, de 15 anos, que foi expulso há dois anos. Desde a sua expulsão, que ocorreu porque ele agrediu uma professora, as ameaças começaram.

A vice-diretora da instituição, que preferiu não ter o nome mencionado na matéria, contou que as paredes e o chão estavam escritos com ameaças, inclusive, de que iriam balear a escola. Bilhetes também foram deixados debaixo das portas. A vide-diretora contou que suspeita dos alunos por causa da letra dos bilhetes, que se parece com a caligrafia deles, e também por causa da conduta dos adolescentes.

“Eles tinham várias ocorrências, não costumam acatar regras, nem obedecer. Se envolviam em brigas, queriam resolver tudo com violência. O menino de 13 anos é até assistido por um conselheiro tutelar. Desde que foi suspenso, ele tinha que voltar á escola acompanhado da mãe, mas não voltou”, disse a mulher.

Os adolescentes ainda não foram localizados pela polícia.

Bilhetes quase indecifráveis

Entre os recados deixados pelos suspeitos, alguns, inclusive, assinados com o nome deles, foi possível identificar algumas mensagens - todas grafadas incorretamente e com erros de concordância -, como a escrita a giz em um quadro negro: “nois vai mete bala na escola”; a deixada em uma folha de papel: “nois vai mete bala nesta escola de noite, pode vir policia nois vai mete bala, cagarao no galpao”; perto da janela da cantina: “voceis vai morre voceis e professor”; e em um bilhete jogado dias antes dentro da escola: “voce alebra que voce expusso da escola, os bonde vai quebrar esta escola, nois vai mete bala de oitao”. A maioria dos recados continha palavrões e palavras indecifráveis. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave