Ferrari confirma Alonso e Kimi em tributo a Ayrton Senna

Evento destinado à memória do ex-piloto, que morreu em 1994, será realizado entre esta quinta-feira e domingo, no circuito de Ímola

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A Ferrari confirmou, oficialmente, a participação de Fernando Alonso e Kimi Raikkonen, sua dupla de pilotos titulares na Fórmula 1, no tributo a Ayrton Senna que será realizado entre esta quinta-feira e domingo no circuito de Ímola. A pista italiana foi palco do trágico acidente que custou a vida do tricampeão mundial, cujo aniversário de 20 anos de morte será completado neste 1º de maio.

O evento desta semana também lembrará a morte do austríaco Roland Ratzenberger, que morreu um dia antes do ídolo brasileiro em grave acidente nos treinos de classificação para o GP de San Marino de 1994. Já Senna faleceu depois de bater violentamente com a sua Williams na curva Tamburello durante a corrida.

Alonso e Kimi, que também se sagraram campeões mundiais na F1, reverenciaram o brasileiro antes de participarem do evento em memória do piloto, que para muitos foi o maior de todos os tempos. "Acho que Senna foi uma referência para todos os pilotos, sem dúvida o melhor de sua geração. O que o tornava especial era sua tremenda vontade de ganhar e seus números falam por si só. Sempre lutava até o final e com isso ganhou o respeito de todos. Por isso, hoje é uma lenda", disse o espanhol, para depois lembrar como encarou a trágica morte de Senna em 1994.

"Era muito pequeno na época, e a TV espanhola não transmitia a Fórmula 1, mas comecei a saber dele através do meu pai, que era um fã, e meu primeiro kart foi pintado com as mesmas cores do carro dele (de Senna)", completou.

Kimi, por sua vez, disse que lembra com clareza do dia em que o brasileiro morreu e destacou o impacto que a perda teve para o automobilismo mundial. "A morte de Senna foi um momento muito triste para o mundo da Fórmula 1", disse o finlandês, para depois reforçar: "Ainda estava no colégio e, embora não me lembrasse muito dele, porque eu era muito jovem, aquele dia ficou gravado na minha memória. Acho que era um grande piloto e uma referência para muitos que competiram depois dele".

Senna foi campeão mundial em 1988, 1990 e 1991 e acumulou 41 vitórias na Fórmula 1, além de ter conquistado 65 poles e subido ao pódio 80 vezes, entre tantos outros feitos que o consagraram na categoria máxima do automobilismo.

Leia tudo sobre: formula 1ayrton sennaferrariautomobilismo