Ligados na Copa Libertadores

Jogadores destacam que as muitas opções de jogadas da equipe podem valer a classificação

iG Minas Gerais | Bruno Trindade |

‘Espião’. 

Paraguaio Samudio admite que times do continente temem a qualidade dos brasileiros, mas alerta que ‘só técnica’ não é suficiente
Lincon Zarbietti / O Tempo
‘Espião’. Paraguaio Samudio admite que times do continente temem a qualidade dos brasileiros, mas alerta que ‘só técnica’ não é suficiente

Depois de empatar por 1 a 1 com o São Paulo, nesse domingo, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro volta as suas atenções para a Copa Libertadores da América. E o foco celeste tem que ser total para que o clube consiga avançar na competição. Como precisa marcar gols para ficar com a vaga, a Raposa pretende levar todas as “armas” da equipe campeã do último Brasileiro para voltar com o resultado favorável do Paraguai.

Os mineiros têm a seu favor a experiência de jogadores como o goleiro Fábio, o lateral-esquerdo Samudio, o zagueiro Bruno Rodrigo, o volante Henrique, o meia-atacante Júlio Baptista e o atacante Willian, dentre outros, acostumados com o clima de decisão. Os cruzeirenses também podem aproveitar-se das jogadas individuais, pois contam com atletas ofensivos, rápidos e de boa técnica. A bola área, tão eficiente em 2013 e que se repete em 2014, pode ser um aliado a mais na batalha contra o Cerro Porteño, nesta quarta-feira.

Se não bastasse a criatividade para superar a defesa adversária, o Cruzeiro não pode cometer os mesmos erros que já aconteceram na atual edição da Libertadores. Não segurar o jogo, não tocar a bola no campo do adversário e a desatenção podem encerrar a caminhada estrelada rumo ao tri. Por isso, o lateral-esquerdo Samudio disse que a equipe celeste precisa ter atenção total para seguir na disputa. “Temos que fazer um bom jogo, estar bem concentrado e não nos desesperarmos. Sabemos que, se jogarmos assim, o Cruzeiro está mais próximo de alcançar o objetivo de passar às quartas de final”, declarou.

O jogador também ressaltou a importância de a Raposa não desperdiçar as chances de gol que criar. “Será um jogo muito difícil. Sabemos que o Cruzeiro será o visitante, que terá muita pressão da torcida do Cerro (Porteño). Mas temos que ter tranquilidade e aproveitar as situações de gols que tivermos para marcar os gols que precisamos”, afirmou.

Conjunto. O meia-atacante Everton Ribeiro, uma das principais esperanças dos cruzeirenses pela velocidade e habilidade nas jogadas individuais, aposta no coletivo. “Nosso coletivo é muito forte, o que vem decidindo vários jogos a nosso favor. É o que temos de mais forte e vamos tentar usar isso novamente no Paraguai”, constatou.

O camisa 17 considera a bola parada uma arma importante e que pode dar a vaga ao clube estrelado. “É um recurso que a gente tem. No ano passado, fizemos muitos gols de bola parada. Nosso time é rápido, sofre muitas faltas e tem muito escanteio a seu favor. É uma arma a mais”, afirmou o jogador.

Como a Raposa precisa marcar gols e sair para o ataque, o meia pede cuidado com os espaços na defesa. “Temos que ter cuidado com os contra-ataques. Creio que eles não vão mudar muito a postura que tiveram no Mineirão, mas também não ficarão tão atrás, porque não podem levar o gol. Quando eles atacarem, temos que ter atenção para não dar muito espaço”, concluiu Everton Ribeiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave