PMDB atrás dos prefeitos infiéis

Partido acusa governo do Estado de “aliciar” chefes de executivo para garantir apoio ao PSDB

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

Busca. Executiva do PMDB reconheceu que aliança com PT pode render mais cadeiras para seus candidatos proporcionais neste ano
Divulgacao / Assesoria PMDB
Busca. Executiva do PMDB reconheceu que aliança com PT pode render mais cadeiras para seus candidatos proporcionais neste ano

Para garantir a unidade do partido em torno do apoio ao PT na disputa pelo governo do Estado, o PMDB de Minas Gerais terá que convencer grande parte dos prefeitos peemedebistas do interior a integrar a caravana petista. Nessa segunda, em reunião da Executiva estadual, a decisão de fazer parte da pré-campanha petista foi unânime, porém, dirigentes da legenda admitem que muitas lideranças do interior estão alinhadas ao PSDB.  

O presidente estadual do PMDB, deputado federal Antônio Andrade, acusou o governo do Estado de “aliciamento” de prefeitos e deu como exemplo o controle de liberação de recursos para os municípios. “Existe (aliciamento). O governo do Estado faz isso e faz muito bem. Segura a liberação de recursos dos prefeitos até que eles dêem a palavra final. E o prefeito, que é de oposição ao governo do Estado, tem as portas fechadas pelo Estado”, criticou durante coletiva de imprensa.

A avaliação da movimentação dos prefeitos foi feita pelo deputado federal Saraiva Felipe durante a reunião. Segundo ele, é preciso que o PMDB inicie agora um trabalho de “convencimento” dos chefes de Executivos municipais. “As bases do partido já estão participando de caravanas da outra candidatura”, afirmou, fazendo referência ao pré-candidato tucano Pimenta da Veiga.

Saraiva enfatizou que é preciso que o partido se mobilize e criticou a definição de apoio ao PT sem dialogar com as bases do PMDB. “Foi tomada uma decisão sem uma discussão prévia. Agora essa discussão precisa ser feita. Muita gente estava empenhada na candidatura própria”, avaliou.

Os integrantes da Executiva estadual evitaram falar em punição de prefeitos infiéis e ressaltaram que, a partir de agora, é preciso convencer cada uma das lideranças do interior da importância de fazer parte da caravana petista. “Não tinha infidelidade até uma hora atrás porque não tinha decisão tomada”, minimizou Antônio Andrade sobre a postura dos prefeitos e vereadores. “Não vai ser infiel. Não vamos falar em punição. Os prefeitos estão nessa condição por questões de interesse do município”, completou.

Definição. Na semana passada, a Executiva estadual se reuniu em um restaurante da capital para bater o martelo sobre os rumos da legenda, que foi oficializada nessa segunda. No dia seguinte ao anúncio, o senador Clésio Andrade (PMDB) desistiu de ser candidato, alegando que um nome próprio da sigla poderia prejudicar a conquista de cadeiras pelos deputados estaduais e federais.

Esse também foi um dos principiais motivos apresentados pela Executiva estadual para votar pelo apoio ao PT. Na projeção de Antônio Andrade, a coligação com petistas permitirá ao PMDB ter 20 deputados federais e 30 estaduais.

Na reunião dessa segunda, nem Clésio Andrade nem o deputado federal Leonardo Quintão (PMDB) estiveram presentes. Quintão é um dos principais defensores da candidatura própria da sigla em Minas e, no início do mês, chegou a acusar Antônio Andrade de estar descredenciando os diretórios municipais que estivessem contra o apoio ao PT.

A caravana do PT é liderada pelo ex-ministro Fernando Pimentel e terá, provavelmente, Antônio Andrade de vice. O filho do ex-vice presidente da República José Alencar, Josué Gomes, deverá ser o indicado ao Senado.

Panorama

Balanço. O PMDB tem hoje 120 prefeitos em Minas. Um dos principais articuladores junto aos chefes do Executivo para buscar o apoio ao PT será o prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio.

Base

Encontro. O PSDB reuniu, em sua sede em Belo Horizonte nessa segunda, presidentes de 18 partidos que já confirmaram o apoio ao pré-candidato da legenda, Pimenta da Veiga.

Debate. De acordo com o presidente estadual do partido, deputado federal Marcus Pestana, o objetivo do encontro era debater a convenção estadual do PSDB, ainda sem data definida.

Agenda. Além da convenção, os dirigentes também debateram a programação da caravana Todos por Minas, que está percorrendo o interior do Estado de agora até o mês de maio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave