Arrecadação sobe apenas 2%

iG Minas Gerais |

Brasília. A arrecadação de impostos e contribuições federais chegou a R$ 86,621 bilhões em março, um crescimento de 2,5% acima da inflação em relação ao mesmo período do ano passado, mas em ritmo menor do que vinha crescendo nos últimos meses. No primeiro trimestre, a arrecadação de R$ 293,426 bilhões teve crescimento real (corrigido pela inflação) de 2,08%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo a Receita Federal, o resultado foi influenciado pela queda na arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido em janeiro e em fevereiro, com reduções de 5,46% e 16,53% respectivamente.  

Em março, a Receita informou que a arrecadação desses tributos ficou estável. A Receita também citou como fator de influência as desonerações tributárias principalmente de folhas de pagamento, da Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico (Cide) dos combustíveis, do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), cobrado no crédito para pessoas físicas.

IOF Isenção. O governo deixou de arrecadar R$ 210 milhões com a decisão de isentar do IOF a operação de crédito de R$ 11,2 bilhões contratada pela CCEE para socorrer as distribuidoras de energia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave