Fifa condena racismo e diz que luta 'ainda não acabou'

Fifa não fala diretamente sobre a resposta de Daniel Alves, mas acredita que Copa do Mundo é oportunidade única contra o racismo

iG Minas Gerais | agência estado |

Daniel Alves é constantemente vítima de racismo em jogos do Campeonato Espanhol
Reprodução/Facebook
Daniel Alves é constantemente vítima de racismo em jogos do Campeonato Espanhol

A Fifa condena os atos de racismo contra Daniel Alves e aponta que o incidente mostra que "a luta contra o racismo não terminou". No fim de semana, em um jogo válido pelo Campeonato Espanhol, o lateral do Barcelona foi vítima de uma ofensa racista quando, ao chegar perto da linha de fundo, viu uma banana ser atirada por um torcedor. Mas foi sua reação que chamou a atenção internacional. Daniel Alves pegou a banana, descascou e comeu, ato elogiado pela imprensa europeia e por ex-jogadores como o inglês Gary Lineker. A Fifa não comentou a atitude do brasileiro. Mas afirmou estar "triste por ver que tais incidentes racistas continuam a ocorrer no futebol". "Não deve haver espaço para o racismo no futebol, mas os diversos incidentes recentes mostram que a luta não acabou", declarou a entidade. A Fifa aponta que adota uma atitude de "tolerância-zero" contra o fenômeno e pede que a comunidade do futebol se una para "erradicar o racismo e discriminação do futebol e da sociedade". A Fifa também pede que as entidades locais estabeleçam regras para punir atos semelhantes. Segundo a entidade, a Copa do Mundo no Brasil será usada para passar uma mensagem de combate ao racismo. Os jogos das quartas de final serão dedicados a esse objetivo. "Acreditamos que a Copa do Mundo será uma ocasião perfeita para mandar uma mensagem clara ao mundo: o futebol é para todos e não toleramos qualquer forma de discriminação".

Leia tudo sobre: daniel alvesbarcelonaracismofifa