Gilvan ataca a CBF e diz que vai protestar contra a arbitragem

Presidente do Cruzeiro questiona honestidade da entidade e reclama de lance crucial no empate com o São Paulo, nesse domingo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Gilvan está inclinado a cumprir contrato com o BMG até o fim
Washington Alves/VIPCOMM
Gilvan está inclinado a cumprir contrato com o BMG até o fim

Para o Cruzeiro não resta dúvidas de que a arbitragem interferiu diretamente no resultado do jogo contra o São Paulo, disputado nesse domingo, em Uberlândia, pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães inverter uma falta que ocasionou o gol do Tricolor nos acréscimos do jogo, o presidente celeste, Gilvan de Pinho Tavares afirmou que vai protestar justa à Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Para a Raposa, na disputa de bola entre Bruno Rodrigo e Luis Fabiano, a falta foi cometida pelo atacante tricolor, e não pelo zagueiro cruzeirense, como interpretou o juiz. Revoltado, o cartola celeste disse que cobrará pessoalmente ao presidente da CBF medidas sobre a arbitragem.

“Nós temos que conversar pessoalmente com o presidente da CBF para que eles comecem a levar a sério a questão da arbitragem no Brasil. É duro você investir em time, mais do que os outros, e eles trazerem árbitros para ajudar o adversário a ter um resultado favorável contra o Cruzeiro. A falta foi criada pelo árbitro. Era contra o São Paulo, e o árbitro inverteu, na hora de terminar o jogo, para sair o gol a favor do São Paulo. É preciso que o presidente da CBF leve isso mais a sério ou, do contrário, nós vamos ter de tomar medidas contra a CBF”, disse.

Gilvan questionou a presença de pessoas ligadas ao São Paulo na CBF, como o caso do próprio presidente, José Maria Marin, ex-jogador do Tricolor e que já declarou sua afinidade com o clube. Além do atual mandatário são-paulino, Carlos Miguel Aidar, que presta serviços à entidade.

“Hoje, o presidente do São Paulo (Carlos Miguel Aidar) é advogado da CBF. O presidente da CBF é um ex-atleta, ex-vice-presidente do São Paulo. São pessoas ligadas a um clube que querem ajudar o clube de qualquer maneira. Isso é um absurdo. A gente passa a duvidar da honestidade do que está acontecendo por lá”, disparou.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposagilvancbffutebolarbitragem