COPA 2014 Bronze em Londres é a base para buscar meta

Coreia do Sul é formada por jovens que ficaram em terceiro lugar nos Jogos Olímpicos de 2012

iG Minas Gerais | victor martins |

O craque Son Heung-Min 21 anos Atacante Bayer Leverkusen-ALE
Sang Tan/AP
O craque Son Heung-Min 21 anos Atacante Bayer Leverkusen-ALE

Semifinalista em 2002, quando jogava a Copa do Mundo dentro de casa e era empurrado pela torcida, a Coreia do Sul não mostra a mesma força de 12 anos atrás para repetir uma boa campanha. Conseguir passar de fase, algo que fez em 2010, já será um grande feito para os Tigres Asiáticos, que, apesar das boas campanhas recentes, têm apenas cinco vitórias em 28 partidas que disputou em Mundiais.

Se em campo o time conta com uma nova geração, fora dele está o coreano que melhor conhece a Copa do Mundo. O técnico Hong Myong-Bo vai para o seu quinto Mundial. Como jogador, ele defendeu a Coreia do Sul nas edições de 1990, 1994, 1998 e 2002. O ex-zagueiro disputou 16 partidas pela competição, recorde entre os asiáticos.

E assim, na base da disciplina tática e da forte marcação, Myong-Bo montou a sua equipe. A Coreia do Sul possui um time muito bem treinado e forte defensivamente, mas a falta de jogadores de qualidade pode ser um grande empecilho. O atacante Son Heung-Min é o grande nome da equipe. Apesar de ser titular do Bayer Leverkusen, da Alemanha, não se trata de alguém capaz de fazer a diferença em jogadas individuais.

Menos mal que o grupo é composto por Bélgica, Argélia e Rússia. Superar um dos europeus, praticamente, garantiria a classificação, já que a seleção africana não parece ter forças nem mesmo para superar os coreanos. Além do mais, alguns jogadores fizeram parte do time da Coreia do Sul que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

“Será muito difícil repetir 2002. Para tornar essa façanha possível, será preciso fazer muitos esforços e imensos sacrifícios”, comentou Hong Myung-Bo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave