Peixe de cativeiro é a grande tendência

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

Atualmente, cerca de 70% do salmão consumido no mundo é criado em viveiros. Embora com um percentual maior de criação comercial, o peixe não é exceção. A participação do pescado criado em cativeiro vem crescendo ano a ano. Na década de 1990, de cada cinco peixes consumidos no mundo, um era proveniente de viveiros e os outros quatro eram pescados diretamente nos rios, lagos, além dos mares.  

Hoje, eles têm participação igual, e a tendência é que os criados em cativeiros sejam dois terços do mercado nos próximos anos. O Brasil segue os percentuais mundiais.

No país, o consumo de pescado subiu de 6,79 kg por habitante por ano em 2001 para 14,5 kg por habitante por ano em 2013. A alta de 113% em 12 anos fez o país ultrapassar o mínimo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 13 kg anuais per capita.

O Ministério da Pesca e Aquicultura considera que, além do grande potencial de consumo, o país também tem grande potencial de produção, pelo volume de águas disponível para criação.

Em expansão. “A aquicultura já responde por cerca de 40% da produção e, com o ritmo de desenvolvimento, a expectativa é que o Brasil conte, já em 2014, com aproximadamente 1,5 mil hectares de áreas aquícolas e alcance a produção de 1,5 milhão de toneladas de pescado cultivado”, diz a secretária nacional de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura, Maria Fernanda Nince. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave