Petistas apostam as fichas em auditoria de José Dirceu

Para partido, investigação paralela vai derrubar acusações do mensalão

iG Minas Gerais | RODRIGO FREITAS |

“Guerreiro”. Aliados, sob anonimato, dizem que para Dirceu provar inocência virou questão de honra
pablo valadares - 7.3.2013
“Guerreiro”. Aliados, sob anonimato, dizem que para Dirceu provar inocência virou questão de honra

Petistas acreditam que uma eventual comprovação da inocência do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e companhia no caso do mensalão possa render frutos eleitorais, mas não neste ano. Conforme O TEMPO mostrou nesse domingo, Dirceu e Cristiano Paz, ex-sócio de Marcos Valério, estão fazendo, por conta própria, uma auditoria independente sobre a gestão financeira da Visanet, consórcio que serviu de ponto de partida para o escândalo do mensalão, ainda no ano de 2005.

Para os petistas, tentar provar a inocência do partido se transformou numa questão de honra. “O Dirceu é guerreiro. Ele nunca desiste das coisas. E não desiste jamais de um direito legítimo que ele tem, que é se defender. Foi um julgamento político feito no Supremo Tribunal Federal (STF) e José Dirceu quer mostrar isso nessa auditoria”, afirma um petista que pediu anonimato.

“O PT foi execrado publicamente quando aquela história do mensalão foi veiculada. Para nós, não há provas concretas de que o dinheiro foi desviado para comprar apoio político para o então presidente Lula. Aliás, o Lula nunca precisou disso porque sempre foi um político habilidoso”, afirma outro petista, que, apesar da defesa ao partido e ao ex-presidente, falou sob condição de não ter o nome revelado.

Confiando que a auditoria provará a inocência deles, Dirceu e Paz pretendem recorrer ao Tribunal Internacional de Haia para anular o julgamento da Ação Penal 470, que trata do mensalão. Politicamente, confiam os petistas, seria a chance de o partido retomar uma ligação ética com a sociedade, que se rompeu quando o escândalo veio à tona a partir das revelações do então deputado federal Roberto Jefferson (PTB). Dirceu, Paz e Jefferson estão presos.

HISTÓRICO. A Visanet, objeto da auditoria, era uma administradora de cartões de débito e de crédito gerida por várias instituições bancárias, entre elas o Banco do Brasil. Na empresa, havia um fundo para verbas publicitárias, que poderia ser utilizado por cada um dos bancos. Segundo a ação do mensalão, o Banco do Brasil destinou os R$ 73,8 milhões aos quais tinha direito para a DNA Propaganda, de Valério e Paz.

A agência, por sua vez, operou a distribuição do dinheiro a parlamentares para garantir o apoio deles aos projetos de interesses do governo petista. Justamente desse suposto desvio é que surgiu o mensalão, ainda nos anos de 2003 e 2004.

Dirceu foi condenado a sete anos e 11 meses de prisão. Cristiano Paz foi condenado a mais de 23 anos em regime fechado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave