Aposentadoria por tempo de contribuição

iG Minas Gerais |

Olá, amigo leitor do Super. Nesta semana, vamos falar mais um pouco sobre aposentadoria. Desta vez, o tema é a aposentadoria por tempo de contribuição. De início, vale a pena recordar que têm direito à aposentadoria no Brasil os trabalhadores registrados em geral e as pessoas que pagam mensalmente o seu carnê de contribuições previdenciárias. E como se aposentar por tempo de contribuição? Nessa aposentadoria, o homem precisa contar com 35 anos de contribuição, e a mulher com 30 anos. Não há exigência de idade mínima. O valor inicial do pagamento do benefício é sempre uma dúvida, especialmente porque depende de vários cálculos e, dificilmente, será igual aos últimos salários do segurado. Isso porque o cálculo parte da média da maioria dos rendimentos do segurado (os salários de contribuição). Antigamente havia uma regra que levava em conta apenas as últimas 36 remunerações (ou o valor-base sobre o qual era calculada a contribuição) antes do pedido de aposentadoria. Essa regra não vale mais. Ao final ainda aparece o temido fator previdenciário. Ele é uma fórmula matemática que leva em conta a idade do segurado, a sua expectativa de vida e o tempo de contribuição. O uso do fator previdenciário é obrigatório nessa espécie de aposentadoria e, quase sempre, reduz ainda mais o valor do benefício. O segurado com idade próxima a 50 anos e com tempo mínimo de contribuições, por exemplo, certamente sofrerá uma grande redução no seu benefício. E tem mais. Para os segurados que se filiaram à Previdência Social antes de 1998, época da extinção da aposentadoria por tempo de serviço e criação da atual aposentadoria por tempo de contribuição, foi criada uma regra de transição. A aposentadoria por tempo de contribuição proporcional. Para sua concessão é necessária a idade mínima de 53 anos, para o homem, e de 48, para a mulher. O segurado homem ainda precisa possuir 30 anos de tempo de contribuição, e a mulher, 25, além de pagar um “pedágio”, ou tempo extra, de até cinco anos de contribuição. A aposentadoria proporcional beneficia o trabalhador antigo, que estava próximo de se aposentar em 1998, data da mudança da lei. Também é bom lembrar que, em 2011, o governo possibilitou a redução do valor da contribuição previdenciária para alguns segurados. Quem fez essa escolha pela contribuição menor não poderá se aposentar por tempo de contribuição. Essa pessoa terá direito a outros benefícios previdenciários, dentre eles a aposentadoria por idade. Como se vê, o assunto aposentadoria não é simples, pois são muitos detalhes, e tivemos muitas mudanças nas regras nos últimos anos. Então, se você tem dúvidas sobre o assunto, vale a pena procurar a Defensoria Pública da União. A DPU pode orientar você. Da mesma forma, se o seu pedido de aposentadoria foi negado pelo INSS, se o valor do benefício está diferente do que você imaginava, ou se você tem alguma dúvida ou algum problema em relação à sua aposentadoria, procure a DPU.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave