Presidente volta atrás e vê Kardec 'perto' do São Paulo

Apesar da mudança de postura, o São Paulo já costurou o acerto com todas as partes e o atacante já avisou Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, que irá atuar no rival

iG Minas Gerais | agência estado |

Depois de anunciar Alan Kardec como reforço para a temporada, o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, recuou e disse que o clube ainda não tem a situação resolvida com o jogador, atualmente no Palmeiras e que já optou deixar o clube alviverde para jogar no Morumbi.

"O Alan Kardec não é do São Paulo ainda, mas espero que seja em muito breve. O atleta está no mercado e quem disse isso não fomos nós, mas sim o pai do atleta. Oxalá a gente consiga trazê-lo, mas vamos esperar esgotar todos os prazos de negociação da Sociedade Esportiva Palmeiras com ele", disse o presidente em entrevista à SporTV.

Apesar da mudança de postura, o São Paulo já costurou o acerto com todas as partes e o atacante já avisou Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, que irá atuar no rival. Além dos R$ 13 8 milhões que serão pagos ao Benfica, de Portugal, Alan Kardec receberá R$ 350 mil mensais por cinco anos de contrato e seus agentes ganharão R$ 2,2 milhões em luvas.

Segundo uma parte envolvida na negociação, o recuo de Aidar é apenas pelo fato do vínculo não ter sido assinado. O presidente resolveu se precaver por uma "segurança jurídica" e agora fala que o clube precisa esperar o desenrolar da situação entre Palmeiras e Benfica.

"Há uma notificação, pelo que soubemos, do Benfica ao Palmeiras, dando prazo de opção e o que importa em um determinado valor de aquisição dos diretos federativos e econômicos do atleta, além da concordância do jogador. Ao que parece, embora o Palmeiras tenha concordado com o valor, o atleta não está querendo. Não há nada concreto, é uma grande especulação, mas acredito que isso se resolva no curso dessa semana. É o que eu espero", finalizou.

Leia tudo sobre: são paulo