Fashion City Brasil será o novo polo da moda em Minas

Empreendimento reúne shopping, hotel e centro de eventos em 205 mil m² em Pedro Leopoldo

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

União. O presidente do Fashion City Brasil, Gilson Amaral Brito, e o idealizador do projeto, Omar Hamdam, em negócios no Minas Trend
Fashion City Brasil / Divulgacao
União. O presidente do Fashion City Brasil, Gilson Amaral Brito, e o idealizador do projeto, Omar Hamdam, em negócios no Minas Trend

O primeiro destino de moda do Brasil fora de São Paulo. É assim que o Fashion City Brasil – um complexo de shopping, hotel e centro de eventos – quer ser quando estiver pronto em 2015, em Pedro Leopoldo, a 40 km de Belo Horizonte. “É uma junção de várias marcas, de várias regiões do Brasil. Nós estamos colocando um extrato, uma mostra do melhor da moda nacional”, explica o presidente do mall, Gilson Amaral Brito Jr, sobre a concepção do Fashion City para lojistas.  

Para o shopping estão sendo investidos R$ 141 milhões e para o hotel e o centro de eventos vão ser mais R$ 50 milhões. Com 551 lojas, sendo 70 delas destinadas ao polo de acessórios, Brito informa que mais de 30% do empreendimento está reservado. “Vamos finalizar a fase de obras em dezembro deste ano e a etapa de implantação começa em janeiro. Então, é mais provável que o shopping esteja aberto para o varejista em julho de 2015”, calcula.

Em 205 mil m², o Fashion City Brasil terá quase 100 mil m² com a implantação do shopping (em 55 mil m²), hotel e centro de eventos, e 1.800 vagas de estacionamento. “Nós vamos ter um hotel de 150 apartamentos e 350 leitos, um centro de eventos de mais ou menos 12 mil m² de área que vai suportar até 2.400 pessoas simultâneas”, conta Brito. E tudo vai ficar pronto em 2015, de forma integrada.

A ideia, de acordo com o executivo, é que a marca Fashion City Brasil seja reconhecida não como um endereço, mas como um destino da moda brasileira, com toda a estrutura de logística preparada para o cliente. “Estresse zero, estamos a cinco minutos do aeroporto de Confins”, diz.

O shopping é para o setor atacadista, feito para lojistas. “Minas hoje tem 853 municípios e, desses, mais de 400 cidades estão no raio de 330 km do Fashion City. Queremos mostrar ao varejista que ele não precisa mais ir a São Paulo para fazer compras”, afirma. Brito deixa claro que o Fashion City é uma alternativa a São Paulo. “Porque não seria uma coisa muito sã querer concorrer com um mercado daquele tamanho”, diz.

Em Minas, de acordo com Brito, existem 18 mil varejistas especializados. “Nosso empreendimento escolheu muito bem os clientes que ele quer, tanto do primário, que é o fabricante, quanto o secundário, que é o varejista que vem se abastecer”, explica. Brito conta que o empreendimento terá o varejista qualificado, aquele cliente muito ligado à moda, que conhece muito de produto e já está numa fase mais madura da operação.

O empreendimento é balizado para R$1 bilhão de faturamento anual, com 15 mil compradores/mês. O projeto, de acordo com Brito, é a evolução de um conceito que vem sendo desenvolvido há oito anos. Tem sócios mineiros e paulistas. “Um dos nossos sócios, Omar Hamdam, é desse segmento, ele foi confeccionista, ou seja, viveu de perto os desafios desse setor acompanhando a questão de que Minas vinha perdendo relevância no cenário nacional”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave