Do início ao fim

Sabrina Greve comemora participar, pela primeira vez em sua carreira, de todo o processo de uma novela

iG Minas Gerais | anna bittencourt |

Mistério. Sabrina Greve destaca complexidade de sua personagem e mistérios que a cercam
David Wendefilm
Mistério. Sabrina Greve destaca complexidade de sua personagem e mistérios que a cercam

Aos 35 anos de idade, com uma extensa carreira no teatro paulista, Sabrina Greve ainda encontra espaços para se surpreender profissionalmente. Na pele da dúbia Angelique, em “Além do Horizonte”, a atriz experimenta, pela primeira vez, participar de uma novela do início ao fim. “Agora que sei como é estar realmente em uma novela, estou com muita vontade de priorizar a TV”, garante, animada. Longe do veículo desde “Caminhos do Coração”, exibida pela Record em 2007, Sabrina foi convidada por Jayme Monjardim para fazer um teste para “Em Família”, novela das nove dirigida por ele. “Não tinha nem personagem estabelecido. Era só uma chamada de casting”, revela, ressaltando que já havia trabalhado com o diretor em “A Casa das Sete Mulheres”, série de 2003. Porém, ao ver o teste, o produtor de elenco Luciano Rabelo puxou a atriz para a atual novela das sete. “Ele estava procurando uma mulher com o mesmo perfil que eu. Mesma idade, com uma possibilidade de ser estrangeira”, revela.

Quando recebeu o convite, Sabrina ainda tinha poucas pistas sobre a função que Angelique iria desempenhar na trama de Carlos Gregório e Marcos Bernstein. “Por ela estar inserida no núcleo na Comunidade, era tudo muito misterioso no início”, relembra. Aos poucos e junto com os demais atores, ela foi descobrindo para quais caminhos sua personagem a levaria. E durante o decorrer da novela, Angelique foi ganhando mais destaque. “Era para ser só uma cientista, uma pegadora. Depois virei amiga da Tereza, depois passei a ser inimiga... E o misterioso foi virando algo natural para a gente”, define, citando a personagem de Carolina Ferraz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave