Atletas do Galo participam de campanha de combate à hipertensão

Ronaldinho Gaúcho, Tardelli, Victor e Jô aderiram à iniciativa; neste sábado, é comemorado o dia nacional de prevenção à doença, e ideia é chamar atenção da população sobre o controle da pressão arterial

iG Minas Gerais | Da Redação |

Ronaldinho Gaúcho lançou marca de roupas: R10
Antonio Callani/AP
Ronaldinho Gaúcho lançou marca de roupas: R10

No Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, que se comemora neste sábado (26), a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) contou com a participação de quatro jogadores do Atlético para lançar a campanha Eu Sou 12 por 8, com o objetivo de chamar a atenção da população sobre a importância do controle da pressão arterial, para evitar as doenças do coração que, no Brasil, matam cerca de 344 mil pessoas por ano.

Ronaldinho Gaúcho, Jô, Victor e Diego Tardelli, voluntariamente, vestiram a camisa de luta contra a hipertensão. O diretor de Promoção da Saúde Cardiovascular da SBC, Carlos Costa Magalhães,  salientou que a adesão dos jogadores tem um impacto grande na população em geral, ainda mais em ano de Copa. “Esses jogadores fizeram a sua participação espontânea. Isso tem um benefício grande, porque chama a atenção de pessoas jovens que já podem  ter sinais de uma hipertensão arterial. Um jogador de futebol que adere a uma campanha como essa merece todo o nosso elogio”.

Segundo ele,  mais de 20 milhões de brasileiros têm a doença, mas menos de 20% mantêm a pressão controlada.  “A hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco cardiovascular.  Então, se a gente chamar a atenção para um mal que muitas pessoas têm e não sabem que têm,  e os que têm não estão tratando de maneira adequada, isso mitiga os fatores de risco que são uma evolução para um futuro derrame cerebral, um infarto do miocárdio, ou uma miocardiopatia, que resulta de anos de uma hipertensão mal controlada”. A ausência de sintomas como tontura, dor de cabeça e cansaço leva as pessoas, de modo geral, a não cuidar de sua pressão arterial, indicou o cardiologista. “A grande maioria não sente nada, acha que está tudo bem porque não tem  nenhuma queixa, não mede pressão". Magalhães falou também sobre a importância de manter um estilo de vida saudável para reduzir os riscos futuros da hipertensão. Essas medidas incluem a redução do sal na alimentação, a diminuição do peso e a realização de atividades físicas.  Ele advertiu que embora haja um consenso sobre os valores de pressão arterial 12 por 8 serem considerados muito bons, não significa que são o ideal para todas as pessoas, já que fatores como a idade e o peso, por exemplo, variam e com eles também pode variar o valor ideal da pressão para cada indivíduo.

A campanha é uma parceria com as sociedades brasileiras de Hipertensão (SBH) e de Nefrologia (SBF).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave