Possível inadimplência em empréstimo é descartada

Foi assinado nessa sexta contrato do setor elétrico com 10 bancos

iG Minas Gerais |

Garantia. Presidente da CCEE, Luiz Eduardo Barata, está confiante
CCEE/DIVULGAÇÃO
Garantia. Presidente da CCEE, Luiz Eduardo Barata, está confiante

São Paulo. O presidente da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Luiz Eduardo Barata, descartou a possibilidade de inadimplência no pagamento do empréstimo de R$ 11,2 bilhões do setor elétrico com dez bancos, cujo contrato foi assinado nessa sexta. “Estamos convencidos de que não há risco, o risco é zero”, disse o presidente.  

A garantia para o pagamento será dada pela arrecadação de um encargo cobrado na conta de luz, o CDE (Conta de Desenvolvimento Energético). Segundo ele, caso o valor arrecadado não seja suficiente para fazer frente às parcelas do empréstimo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tem a prerrogativa de elevar o valor.

Nos reajustes de 2015, a Aneel incluirá no cálculo da nova tarifa o valor a ser arrecadado por cada distribuidora nesse encargo. A arrecadação irá para uma conta de reserva e o recurso será desembolsado a partir de novembro de 2015, quando se iniciará o pagamento das parcelas dos empréstimos. As amortizações serão mensais, até outubro de 2017.

O empréstimo de R$ 11,2 bilhões será utilizado para realizar a liquidação das operações de compra e venda de energia. Em meio à uma oferta de energia apertada e à consequente escalada do preço da energia no mercado de curto prazo, as operações de fevereiro alcançaram R$ 4,7 bilhões, o que, se fossem efetivamente liquidadas, resultariam em “uma inadimplência gigante”, disse Barata. A liquidação será feita entre os dias 28 e 29 de abril, com a entrada da primeira tranche do empréstimo.

Desistência. Os bancos Votorantim, Goldman Sachs e HSBC desistiram de participar do empréstimo de R$ 11,2 bilhões para as elétricas nessa sexta mesmo.

De acordo com informações da “Agência Estado”, o motivo da desistência do Votorantim teria sido a falta de tempo para obter a aprovação da participação no empréstimo.

Já Goldman e HSBC teriam optado por não participar por serem menores e não terem interesse em comprometer os seus balanços com os valores em jogo no contrato de empréstimo.

Cantareira

Baixa. O nível da água do Sistema Cantareira, em São Paulo, caiu de 11,6% para 11,4% nessa sexta, segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS). É o patamar mais baixo da história.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave