Tacos, burritos e jalapeño

iG Minas Gerais | Renato Quintino |

Muitas versões de sanduíches, tacos e burritos compõem um bar de tapas mexicano
Renato Quintino
Muitas versões de sanduíches, tacos e burritos compõem um bar de tapas mexicano

É comum ver “chefs-viajantes” ingleses ou norte-americanos em programas internacionais de gastronomia estranharem a paixão dos portugueses pelo bacalhau. A preferência é tratada como exótica, como se as deles por catchup, molho barbecue e yorkshire pudding não fossem.

O brasileiro entende e assina embaixo da paixão pelo bacalhau pela (boa) herança da colonização portuguesa. Esse fenômeno acontece na verdade em todo o continente americano, onde a herança do país colonizador está presente – reinventada – na gastronomia local. O estilo Macunaíma está presente por toda a América.

A herança espanhola está na “importação” e reinvenção de dois de seus maiores clássicos: as tortillas e os tapas. Embora a paella possa ser o prato nacional do país, sua grande riqueza gastronômica está nas dezenas (e deliciosas) variações de seus tapas e tortillas que estão presentes da América espanhola ao sul dos Estados Unidos (pela influência mexicana).

O México – com uma das cozinhas mais coloridas e saudáveis do mundo – é o grande difusor dessa cultura, com excelentes versões de tapas em seus tacos e burritos, cuja originalidade está no acréscimo de duas paixões nacionais: o abacate e a pimenta jalapeño.

“Picância”

A pimenta jalapeño derruba a barreira cultural entre o México e os Estados Unidos, onde também está presente em todo o país. No sul e no oeste dos EUA, a influência mexicana é enorme, estendendo-se para tacos, tortillas e feijões, encontrados à vontade (feijão com carne e molho barbecue é o grande favorito da Geórgia ao Texas).

Além da jalapeño (o nome homenageia Jalapa, capital de Vera Cruz, onde é encontrada fresca, processada, em pó, em conservas ou como molho), a cozinha mexicana traz seu inconfundível “toque final” com as pimentas caiena (o nome vem de sua comercialização a partir da Guiana Francesa), chili (vermelha, que faz o famoso chilli com carne), poblano (ou ancho, quando desidratada), serrano e a fortíssima habanero cubana.

Frescor

O célebre guacamole, com sua união de frescor e condimento, é sucesso no mundo inteiro, e a descontração de um bar de tapas espanhol é reproduzida nos bares de tapas mexicanos, com seus tacos e burritos. Numa viagem a balneários do México, como Cozumel e Cancún, é recomendável sair da zona de conforto da “cozinha internacional dos resorts”, encontrar muitas boas opções da genuína cozinha do país e provar seus sabores deliciosamente intensos pelas suas pimentas.

Na gastronomia, Cancún pode ser um “hot spot”. Literalmente.

Receita

ARROZ DE CAMARÕES, LULAS E PIMENTA JALAPEÑO

Coloque 1 xícara de tomatinhos sweet grape e dois pimentões fatiados (vermelho e amarelo) em um tabuleiro, tempere-os com sal e pimenta-do-reino, regue-os com 6 colheres (sopa) de azeite extravirgem e salpique por cima folhas de tomilho fresco e 1 folha de louro. Asse em forno preaquecido a 200°C por cerca de uma hora. Retire do forno e reserve.

Preparo dos camarões e das lulas: Tempere 800 g de camarão e 600 g de lulas em anéis com sal e pimenta-do-reino. Em uma frigideira, aqueça 4 colheres (sopa) de azeite extravirgem, coloque os camarões e as lulas e refogue por cerca de 3 a 4 minutos, misturando para dourar dos dois lados. Acrescente os pimentões e tomates assados (coloque também os sucos que ficam no tabuleiro em que foram assados), 2 colheres (sopa) de pimenta jalapeño em conserva, cortadas em pedaços e, por fim, misture 2 xícaras de arroz branco cozido. Misture bem. Verifique os temperos, retire do fogo, salpique 1 xícara de cebolinha verde picada e sirva imediatamente.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave