Índice de crimes violentos cresce 27,3% em Minas

Balanço compara primeiro trimestre de 2014 com o de 2013

iG Minas Gerais | Jáder Rezende e Camila Bastos |

Motivação. Para especialistas, avanço da criminalidade pode ser reflexo da falta de investimentos
DENILTON DIAS / O TEMPO
Motivação. Para especialistas, avanço da criminalidade pode ser reflexo da falta de investimentos

O índice de crimes violentos continua aumentando em Minas, segundo balanço trimestral divulgado pela Secretaria de Estado da Defesa Social (Seds) nesta sexta. Foram registradas 26.323 ocorrências de homicídios e latrocínios, por exemplo, de janeiro a março, 27,3% a mais que as 20.666 do mesmo período do último ano. Somente em março, houve 9.090 ocorrências, 22,9% a mais que o índice do mesmo mês de 2013. Já na capital, houve 2.586 casos em março, 23,4% de crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior.

O balanço do governo estadual aponta como “avanço” na área de segurança pública a diminuição de 23,26% nas extorsões mediante sequestro (que passaram de 43 para 33) e de 12,57% nos estupros – de 382 para 334.

Os crimes violentos que mais aumentaram, segundo o levantamento, foram os roubos, que cresceram 32% no primeiro trimestre de 2014 em relação ao mesmo período do ano passado. Secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz informou que considera o recrudescimento dos indicadores de criminalidade, em especial dos crimes contra o patrimônio, “uma tendência em todo o país”.

O chefe da pasta informou que neste ano haverá reforço no efetivo das polícias Civil e Militar tanto no setor administrativo das corporações como nas ruas, “para que haja aumento da sensação subjetiva de segurança na população”. O secretário também disse acreditar que a posse de 121 médicos legistas e de 95 peritos na Polícia Civil, prevista para ocorrer em breve, garantirá mais agilidade na elucidação de crimes.

Especialista. Pesquisador do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Frederico Marinho avalia que o avanço da criminalidade no Estado desde 2010 tem relação direta com a falta de investimentos e de políticas públicas na segurança. “Pior que o aumento sistemático da criminalidade é a falta de resposta do Estado em curto prazo”, disse. 

Capital/2014

Roubo – subiu 28,5%

2013: 6.526

2014: 8.386

Estupro consumado – aumento de 10%

2013: 55

2014: 61

Tentativa de estupro – queda de 13%

2013: 23

2014: 20

Extorsão com sequestro – queda de 44%

2013: 25

2014: 14

Homicídio consumado – queda de 8,5%

2013: 202

2014: 185

Tentativa de homicídio – aumento de 8,5%

2013: 238

2014: 251

Efetivo

Reforço. Segundo a Seds, 2.100 novos policiais militares deverão ser destacados para atuar nas ruas de todo o Estado ainda neste ano. O efetivo atual da corporação é de 50 mil homens.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave