Professor da UFMG acusado de assédio deve se retratar novamente

O caso chegou ao conhecimento da reitoria após a divulgação de um vídeo no qual supostamente o professor diz fala com uma aluna que gostaria de terminar a conversa "na horizontal"

iG Minas Gerais | SUELLEN AMORIM |

A Diretoria da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) deve se posicionar na próxima segunda-feira (28) sobre a denúncia de assédio moral, oferecida contra o professor Francisco Coelho dos Santos, pelos alunos do segundo período de Ciências Sociais da universidade.

Os estudantes organizaram um abaixo-assinado com mais de 200 assinaturas em outubro do ano passado, após a divulgação de uma gravação em que o professor supostamente diz em aula que gostaria de terminar a conversa com uma aluna “na horizontal”.

A UFMG divulgou, por meio de assessoria, que a Fafich só irá se posicionar a respeito do caso quando receber os relatórios da comissão de ética do conselho universitário da UFMG, o que deve acontecer na próxima semana. O professor Santos, que já escreveu carta de desculpas lida para os alunos em sala de aula no semestre passado, terá outra forma de retratação definida na próxima semana, e pode incluir cartazes espalhados pelo prédio da faculdade.

O professor Santos disse que desconhece o segundo pedido de retratação ao qual deve ser submetido, e que suas atividades na UFMG seguem normalmente. A comissão de ética do conselho universitário da UFMG afirmou que a investigação segue em caráter reservado.

Homofobia

Sobre o caso do professor de matemática Antônio Zumpano, que recebeu denúncias de homofobia por textos publicados em seu blog, também no mês de outubro, a assessoria da UFMG informou que a denúncia não chegou a ser formalizada junto à instituição. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave