Al Rayyan voltará a investir pesado para o Mundial de clubes

Equipe deve contar com referências internacionais, como o ponta búlgaro Kasinski e o central cubano Simón

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Assim como aconteceu no Mundial de 2012, o Al-Rayyan, do Catar, vai entrar na competição com fortes nomes do cenário internacional. Na competição de dois anos atrás, que teve o time de Doha como um dos anfitriões, os petrodólares do Oriente chamaram a atenção de jogadores como o central brasileiro Rodrigão, além dos irmãos Bratoev, que jogaram a última edição das Olimpíadas pela sua seleção. Georgi e Valentin, que atuam como levantador e oposto, foram alguns dos contratados, assim como o central norte-americano David Lee e o oposto finlandês Mikko Oivanen.

Para este ano, o quadro irá se repetir. Estão perto do time o ponta búlgaro Kasinski, que ganhou quatro títulos mundiais pelo Trentino entre 2008 e 2012, além do central cubano Simón, considerado um dos melhores do mundo em sua posição. Simón chega do Piacenza, onde ajudou o time na liga italiana a chegar às semifinais. Apesar de ter contrato com a equipe do país da bota até a próxima temporada, seu futuro após o Mundial ainda é incerto.

No campeonato asiático, terminado recentemente, o Al-Rayyan contou com a ajuda do cubano naturalizado norte-americano Cala, e do ponta italiano Savani. Apesar da contribuição dada durante o torneio continental, a presença da dupla ainda não está garantida no Mundial.