Mineiras dão as caras na final da Superliga feminina

Alguns dos destaques de Unilever-RJ e Sesi-SP foram revelados por clubes de Belo Horizonte, como Minas Tênis e Mackenzie

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Alexandre Arruda / CBV
undefined

Até quando está fora de uma final, a força de Minas Gerais se mostra presente. A decisão do próximo domingo, da Superliga feminina, entre Unilever-RJ e Sesi-SP é prova disso. O jogo acontecerá às 10h, no Maracanãzinho, com transmissão ao vivo da Rede Globo.

Várias das jogadoras que estarão em quadra possuem forte relação com o Estado, que deu importante contribuição na sua formação como jogadoras.

É o caso das paulistas do Sesi-SP, como a líbero Suelen e a ponta Priscila Daroit. Pelo Unilever, atletas como a ponta Gabi, a central Fabiana, a levantadora Roberta e a central Ana Carolina atuaram em Minas Gerais e levam boas lembranças de sua passagem pelo Estado.

Minas Tênis Clube e Mackenzie são dois dos clubes onde as estrelas da decisão estiveram. "Tenho um carinho muito especial pelo Mackenzie. Foram dois anos muito importantes na minha vida, que me ajudaram bastante, dando boa bagagem para a continuidade da minha carreira. Sempre que vou lá, sou muito bem recebida, todos se lembram de mim com carinho e falam que continuam torcendo, mesmo de longe. Sou suspeita para falar do clube, que amo de coração", elogia

Daroit, que jogou no clube do bairro Santo Antônio nas temporadas 2010/2011 e 2011/2012.

No seu último ano de clube, Daroit teve uma lesão no joelho, que a deixou afastada de muitos jogos. "Foi uma pena não ter jogado como eu gostaria. Mas as recordações que tenho de lá são as melhores possíveis. Só tenho a agradecer por tudo que vivi ali e pelas coisas boas que o clube fez por mim. O Mackenzie foi fundamental no meu crescimento", elogia a ponta.

Quem jogou com ela na temporada 2011/2012 foi a ponta Gabi, que será sua adversária na finalíssima. Depois de se destacar, Gabi foi logo contratada pelo Unilever, time que eliminou o Mackenzie nas quartas-de-final. Apesar da saída do torneio, a campanha do time mineiro foi bastante elogiada, tanto pela classificação para os playoffs, que muitos não esperavam, como por ter vencido o time carioca na abertura da série, dentro de casa. Depois disso, duas vitórias do Unilever selaram a passagem para a semifinal.

"Foi em BH que eu tive as minhas primeiras grandes oportunidades no vôlei. Ter jogado uma Superliga com apenas 16 anos me ajudou demais. Amadureci muito e pude aparecer no cenário nacional. Devo muito à essa oportunidade, principalmente ao técnico Ricardo Picinin", recorda Gabi, que hoje é nome certo na seleção brasileira.