Adolescente de 13 anos é suspeita de matar taxista no Vale do Rio Doce

Garota contou com a ajuda da mãe e do namorado; vítima teve o rosto desfigurado após receber golpes de pauladas e facadas

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Trio foi detido durante operação conjunta entres as polícias Militar e Civil
FOLHA DE GUANHÃES
Trio foi detido durante operação conjunta entres as polícias Militar e Civil

Uma adolescente de apenas 13 anos, a mãe e o namorado dela foram detidos, nessa quinta-feira (24), suspeitos de matar uma taxista de Guanhães, no Vale do Rio Doce. A vítima foi esfaqueada e teve o rosto desfigurado após receber golpes de pauladas.

De acordo com o registro do boletim da Polícia Militar, Luíza Carvalho da Silva, de 69 anos, desapareceu nessa quarta-feira (23) depois que saiu de casa para mais um dia de trabalho. Para a família, a idosa contou que tinha combinado uma corrida com uma mulher para buscar laranjas em Barreira de Cima, distrito de Guanhães.

No entanto, como ela não retornou para casa familiares deram queixa de desaparecimento. Durante rastreamento, policiais encontraram Luíza em uma casa abandonada. O corpo apresentava várias perfurações provocadas por facadas, além de lesões por causa das pauladas. Já o veículo da taxista foi encontrado com o pneu furado às margens da MGT-259.

Com as informações de moradores da região, militares encontraram Irene Pereira Gomes, de 39 anos, em São João Evangelista, cidade vizinha. Após o crime, a suspeita foi para o município passar a noite com o namorado. Ela foi conduzida à delegacia e, em seguida, sua filha e seu genro de 17 anos foram apreendidos na casa da avó do jovem, em Guanhães.

O adolescente confessou que, após embarcarem no carro, ele colocou uma faca no pescoço da vítima. Luíza foi levada para o imóvel abandonado, onde Irene amarrou as suas pernas. Depois disso, os três suspeitos cometeram o crime.

Eles fugiram levando um anel e dinheiro da taxista. Porém, como o menor não sabia dirigir, ele bateu o veículo em um barranco. Após o acidente o trio fugiu a pé.

Por meio da assessoria da Polícia Civil, a delegada responsável pelo caso, Juliana Callis, informou que Irene já foi encaminhada ao presídio de Guanhães.

Ela foi indiciada por latrocínio, que é o roubo seguido de morte, e corrupção de menores. Os adolescentes seguem detidos após um auto de apreensão em flagrante por ato infracional (AAFAI), análogo ao crime de latrocínio ser lavrado.

O corpo de Luíza será sepultado nesta sexta-feira (25).

Leia tudo sobre: latrocíniotaxistaguanhães