Joseph Blatter volta a defender limite de estrangeiros por time

Presidente da Fifa se mostrou favorável ao sistema 'seis mais cinco', no qual obriga cada equipe a escalar, no máximo, cinco atletas estrangeiros

iG Minas Gerais | agência estado |

Técnico do Real, Ancelotti disse que Blatter (foto) foi desrespeitoso
Divulgação/Fifa
Técnico do Real, Ancelotti disse que Blatter (foto) foi desrespeitoso

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, voltou a se manifestar a favor da implantação de um limite de estrangeiros entre os titulares de cada equipe no futebol mundial. O dirigente se mostrou favorável ao sistema "seis mais cinco", proposta que já causou conflito entre a entidade e a Uefa quando criada em 2010. De acordo com este sistema, cada clube do futebol mundial poderia escalar no máximo cinco jogadores estrangeiros em seu time titular, sendo que os outros seis precisam obrigatoriamente ser nomes elegíveis para atuar na seleção nacional do país de origem da equipe. Em 2010 essa ideia já havia sido sugerida, encontrou forte rejeição da Uefa e acabou sendo descartada. Mesmo assim, Blatter garantiu, na revista semanal da Fifa, que "a gente ainda não ouviu a última palavra sobre esse assunto". O presidente da Fifa alega que a criação desta regra geraria laços mais fortes entre os clubes de futebol e as seleções nacionais, ajudaria as equipes e manterem suas identidades e ainda promoveria jovens talentos. A União Europeia, no entanto, protege a livre movimentação de seus trabalhadores.

Leia tudo sobre: fifablatterestrangeirosfutebol internacional