Uma ideia brilhante que garante uma velhice feliz

Mãe de dez filhos, aos 80 anos de idade, a contagense Adna Crispim Muniz decidiu abrir as portas da própria casa para fundar o Lar dos Idosos Bem Estar, no Novo Retiro

iG Minas Gerais |

Exemplo. 
Adna Crispim Muniz tem 80 anos, é mãe de dez filhos e acredita que a união familiar é um dos pilares para se viver bem e feliz.
FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO _
Exemplo. Adna Crispim Muniz tem 80 anos, é mãe de dez filhos e acredita que a união familiar é um dos pilares para se viver bem e feliz.

Enfrentar a velhice pode não ser tão simples e natural quanto parece. Além dos cabelos brancos, dos ossos desgastados e da imunidade um pouco mais comprometida, muitos idosos precisam lidar ainda com o abandono e o descaso familiar. Porém, a história de dona Adna Crispim Muniz segue na contramão dos dados e relatos que envolvem tristeza e comodismo na terceira idade. No auge dos 80 anos, com o apoio da família, ela esbanja alegria e lucidez ao transformar a própria casa em um lar para idosos.

Tudo começou há pouco mais de um ano e meio, quando o marido adoeceu e os médicos recomendaram que ambos passassem a ser acompanhados por enfermeiros e cuidadores, em um espaço voltado à eles, devido a idade avançada. “Meu marido não concordava com a ideia de maneira nenhuma. Bateu o pé e disse que não sairia da nossa casa para viver em uma clínica ou um asilo”, recorda.

Para não contrariar o esposo nessa altura da vida, Adna reuniu os filhos e teve a ideia de transformar a chácara onde mora em um lar para idosos. “Convidamos mais dois idosos independentes para morar conosco. Assim teríamos condições de manter a casa, pagar cuidadores e continuarmos nossas atividades do dia-a-dia sem depender tanto da família”. E assim foi feito. Os filhos saíram em busca de pessoas interessadas e não demorou muito para que os primeiros internos chegassem ao lar. Quatro meses após o pontapé inicial do projeto, o marido de dona Adna faleceu, mas segundo ela, o importante é que até o último momento a vontade dele foi respeitada. “Ele estava feliz. Me ajudava nas tarefas e fazia suas atividades diárias dentro das suas possibilidades”.

Para distrair

Engana-se quem pensa que no auge dos seus 80 anos dona Adna quer mesmo é um pouco de descanso. Todos os dias, além de ajudar a organizar o lar, ela ainda lidera a produção de queijo e cuida dos animais juntos aos outros internos. “Fazemos tudo com muito capricho e todos que provam nossos queijos aprovam e voltam para comprar mais”, afirma.

Além das atividades diárias, Adna gosta de assistir TV e se mantém informada. “Gosto muito das novelas globais e todos os dias pego o jornal para saber sobre o que está acontecendo pelo mundo”, diz.

Família unida

Mãe de dez filhos, avó de 18 netos e bisavó de outros três, Adna reforça a importância do amor e da união familiar. “Passamos muitas dificuldades para criar nossos filhos, mas sinto saudades daquela época. Os tempos eram difíceis, trabalhávamos com lavoura, mas nunca deixamos de cuidar uns dos outros com muito carinho e amor”, garante.

O lar

O Lar dos Idosos Bem Estar iniciou suas atividades há pouco mais de um ano e meio e funciona no bairro Novo Retiro, na divisa entre Contagem e Esmeraldas. Atualmente, conta com 17 internos, 4 funcionários e é administrado pelos filhos de Adna. Para arcar com os custos do local, os familiares dos internos pagam uma mensalidade fixa e, além disso, para ajudar nos custos mensais, são produzidos e revendidos queijos.

Segundo Adna, o dia a dia dos internos é bem tranquilo. Os que conseguem se locomover sozinhos passam o dia passeando pela chácara, brincando e cuidando dos animais, comendo fruta direto do pé, colocando o papo em dia, assistindo TV e auxiliando os que têm a saúde mais debilitada. Projetos para outras atividades como artesanato e exercícios físicos também estão sendo planejados e devem ser aplicados no lar em breve.

Ainda segundo Adna, a procura por uma vaga no local é grande mas, infelizmente, eles não conseguem atender toda a demanda. A ideia é ampliar as acomodações e um novo cômodo, inclusive, já está sendo construído. “Somos uma grande família e fazemos companhia uns aos outros. Além de cuidados, aqui trocamos afeto e atenção”, ressalta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave