Maria Callas ganha documentário no teatro

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

Acompanhada por Cássio Reis, Sílvia Pfeiffer vive Maria Callas em peça
Cássia Vilas boas/divulgação
Acompanhada por Cássio Reis, Sílvia Pfeiffer vive Maria Callas em peça

Interpretar personagens que existiram em vida real não é tarefa fácil. Há um imaginário coletivo que cobra do artista a fidelidade àquela figura e seus trejeitos, manias, gestos e temperamento. O cinema é rico em reviver essas personalidades: Val Kilmer interpretando Jim Morrison, Jamie Foxx vivendo Ray Charles e muitos outros exemplos. No teatro, no entanto, a prática não é tão comum. Com intuito de reviver a última noite de Maria Callas, Sílvia Pfeiffer vive a controversa musa da música clássica na peça “Callas”, que se apresenta esse fim de semana na capital. “Confesso que quando fui convidada pela Marília (Pêra, diretora da peça), eu aceitei sem ver o texto, até porque ele estava inacabado. Cerca de uma semana depois, ela me apresentou o material. E eu fiquei apavorada”, confessa a atriz Sílvia Pfeiffer, que divide o palco com Cássio Reis. Com pouca experiência no teatro, a atriz se via “na missão” de dar voz a vários pequenos monólogos – do texto escrito por Fernando Duarte – que a peça traz para reviver a vida de Callas. Mais do que isso, ela daria vida a uma personagem que foi interpretada por Marília Pêra em 1996, no espetáculo “Master Class”. “Ela já me trouxe metade do caminho andado. Eu tive que entender, me moldar ao que ela queria. A Marília já tinha uma ideia antes do trabalho começar, um certo tom operístico, que eu acho genial. E também ela queria imprimir uma característica de documentário na peça por meio de vídeos, fotos, citações e uma intensa troca dos figurinos que remetem às óperas que ela fez”, explica Pfeiffer. A sombra de Marília, ao contrário, estimulou a atriz no seu processo de criação. “Tudo que ela trazia me gerava mais ansiedade, porque eu queria absorver tudo, absolutamente tudo que ela estava me dando”, ressalta ela. Serviço. “Callas”. Amanhã, às 21h, e domingo às 20h, no Teatro Bradesco (rua da Bahia, 2.244, Lourdes). Ingressos: R$ 80 e R$ 40 (meia)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave