Tendência pode não ser moda

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Grupo gera desconforto tanto entre homo quanto entre heterossexuais
GOY.ORG/REPRODUÇÃO
Grupo gera desconforto tanto entre homo quanto entre heterossexuais

Discussões em fóruns da internet e páginas LGBT no Facebook apontam para uma crença de que o movimento G0y seja passageiro. “Estão dando atenção demais a isso”, comentou um dos membros do grupo LGBT Brasil na rede social.  

Mas essa opinião encontra argumentos contrários. “É possível dizer que a heterossexualidade tradicional, tal como concebida, é passado, ou, no mínimo, está em declínio. Essa heterossexualidade existe como ideal, como norma, obrigação, exigência, mas no dia-a-dia as coisas andam às avessas. E não há porque lamentar”, escreve Gilmaro Nogueira, membro do grupo de pesquisa em Cultura e Sexualidade da Universidade Federal da Bahia, em seu blog Cultura e Sexualidade.

“Quando eles se recusam ser chamados de homossexuais, o que acontece é uma resistência de um sujeito a categorias da sexualidade que não dão conta de lidar com todos os desejos da sexualidade humana”, complementa o psicólogo e pesquisador Marco Antônio Torres. Para ele, é necessário mais tempo para, de fato, compreender o destino dos G0ys. “Ainda é cedo para falar se é ou não uma moda. Vamos ver como eles vão resistir às questões sociais que lhes serão impostas por parte dos outros grupos (da sociedade”, pondera o psicólogo e pesquisador Marco Antônio Torres. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave