Fatiamento dificulta fiscalização do MPF

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

O projeto Minas-Rio recebeu licenças de três órgãos e o fatiamento, segundo o Ministério Público Federal (MPF), dificulta a fiscalização. A mina, em Conceição do Mato Dentro, foi licenciada pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente de Minas Gerais (Sisema). O mineroduto ficou sob a responsabilidade do Ibama. E o porto, em São João da Barra (RJ), recebeu a licença do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Inema). “Se eu fatio, reduzo a percepção do impacto que está sendo causado”, diz o procurador da República do MPF-MG, José Adércio Leite Sampaio. Em 2009, no início da obra, o MPF pediu, na Justiça, a unificação, mas não foi atendido. Hoje, mina e porto aguardam Licença de Operação. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave