Mata e carrega o corpo da vítima em carrinho de mão

Homicídio bárbaro aconteceu na tarde da Sexta-Feira Santa (18), no Teresópolis, e chocou moradores que assistiram à cena; nem as crianças foram poupadas

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |

Um crime bárbaro ocorrido na tarde da Sexta-Feira Santa (18), no bairro Teresópolis, chocou moradores. Segundo testemunhas, um homem que estava sentado em um passeio na rua Castro Alves foi abordado por um menor, que atirou em sua direção. Após ser atingida, a vítima foi colocada em um carrinho de mão e levada, na frente de populares, a uma esquina na rua das Flores.

No local, Alexandre Oliveira Martins, 25, teria sido deixado em um mato, agonizando, onde, pouco depois, foi socorrido por policiais militares até o Hospital Regional. Lá, ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

Uma moradora da região, que pediu para não ser identificada por medo, contou que assistiu à cena de sua casa. “Foi muito assustador. O autor atirou contra o rapaz algumas vezes e, depois de caído no chão, atirou novamente na cabeça. Em seguida, o suspeito colocou a vítima em um carrinho de mão, cobriu o corpo dela com um lençol e passou na frente de populares até a esquina, onde a deixou em um mato”, contou.

Outra testemunha, que também preferiu não se identificar, relatou que o autor dos disparos não fez questão de esconder o crime. “Havia muitas crianças brincando na rua na hora dos tiros. Moro aqui há anos e nunca vi nada igual”, disse.

O morador acredita que o crime tenha sido motivado por uma disputa entre gangues do tráfico de drogas rivais. “Desde que os chefes do tráfico foram presos, a garotada travou uma disputa pelos pontos de drogas desta região. Desde então, aqui está parecendo mais a ‘Cidade de Deus’”, completou.

À reportagem de O Tempo Betim, o delegado do 1° Distrito Policial, Vinícius Dias, informou que, de fato, com a prisão de líderes do tráfico no Teresópolis, muitos crimes estão sendo executados por gangues rivais, que disputam alguns pontos “lucrativos” na região, dentre eles, um localizado na rua Castro Alves, onde Martins foi baleado.

No entanto, o delegado preferiu não confirmar se esse caso, em específico, tem relação com essas brigas. “Já temos a suspeita da motivação, mas ainda não vamos divulgar detalhes para não atrapalhar a investigação”. Dias também não informou se a vítima já tinha antecedentes criminais. Ele trabalha com a suspeita de que o criminoso seja um adolescente. Outros suspeitos são investigados.

Já o assessor de imprensa da Polícia Militar, capitão Antuer Júnior, acredita que as antigas lideranças da região ainda estejam atuando de dentro dos presídios. “Muitas ordens são dadas aos comparsas desses traficantes durante as visitas”. O militar informou ainda que o Teresópolis é uma área que tem a atenção da PM. “Constantemente é feito um monitoramento pelo Grupo Especializado de Policiamento em Áreas de Risco (Gepar)”, frisou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave