Usuários sofrem até com a falta de remédios

iG Minas Gerais |

Para pacientes renais crônicos, o setor está abandonado pelas autoridades do município. “Faltam remédios, aparelhos para medir pressão, e algumas cadeiras estão sucateadas. É um descaso total. É muito triste ter que rezar para alguém morrer”, lamentou uma paciente, que pediu para não ser identificada.

A prefeitura informou que a Resolução Técnica Colegiada 154 estabelece que, quando não há vaga fixa, o paciente, para ser tratado, deve estar hospitalizado, o que, consequentemente, demanda um leito.

A prefeitura informou ainda que, para agilizar o processo de hemodiálise dos pacientes que estão na fila de espera, foi firmada uma parceria com a Secretaria de Saúde de Contagem e que 15 leitos serão ofertados.

A prefeitura ressaltou ainda que, em conjunto com o governo do Estado, está realizando um estudo para que um novo centro de hemodiálise, com capacidade de 200 vagas, seja disponibilizado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave