Amigo de dançarino diz que PMs os ameaçaram

Bombeiro civil e funkeiro Paulo Henrique dos Santos afirma ter sido abordado por militar na saída de uma festa no sábado (19)

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O bombeiro civil e funkeiro Paulo Henrique dos Santos, de 37 anos, afirmou nesta quinta-feira (24), à TV Globo que, dois dias antes da morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Pavão-Pavãozinho fizeram ameaças à dupla.

Santos contou que estava com DG em uma festa na comunidade, na noite de sábado (19), quando foi abordado por uma integrantes da PM. Os policiais teriam dito que os dois viviam em meio a bandidos. O funkeiro deve denunciar o caso à Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O corpo do dançarino foi sepultado na tarde desta quinta em clima de grande comoção, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul da cidade. Sob muitos aplausos e aos gritos de "justiça" e "polícia assassina", o caixão foi colocado em um jazigo simples.

O laudo preliminar do Instituto Médico-Legal apontou que o jovem foi morto por um objeto que atravessou o seu pulmão, possivelmente uma bala.

Com Agência  Estado 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave