Menores se conhecem pelo Facebook e marcam roubo

Sem centro socioeducativo onde possam ser recuperados, adolescentes continuam desafiando a polícia e a Justiça; um deles já tinha registro de antecedentes criminais

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Conectados. 
Menores teriam combinado o crime pela internet
FOTO: NELSON BATISTA / OTEMPO
Conectados. Menores teriam combinado o crime pela internet

 

Diante da impunidade dos menores infratores em Betim, que continuam sem um local adequado para recuperação, as ocorrências envolvendo esses jovens no município estão cada vez mais frequentes. Além de um adolescente ser  suspeito de um homicídio no Teresópolis, a Polícia Militar apreendeu outros dois jovens no sábado (19), que teriam roubado um carro no bairro Jardim Piemonte.   Para a surpresa dos policiais, os jovens, que vivem em locais muito distantes, disseram que se conheceram pelo Facebook e marcaram de cometer o crime. As informações de militares da 188ª Companhia do 33º Batalhão dão conta de que os dois adolescentes, de 15 e 17 anos, ambos, armados, abordaram um homem e levaram seu Fiat Palio amarelo.   Com a ajuda de testemunhas que presenciaram o crime, a vítima passou a acompanhar os suspeitos enquanto fazia contato com a PM, que fechou o cerco aos assaltantes. Após o roubo, quando chegaram à BR–381, seguindo em direção à capital mineira, os jovens se depararam com um congestionamento.   Ainda conforme a PM, para evitar o risco de tiroteio, militares se aproveitaram do trânsito e seguiram a pé entre os veículos, abordando os adolescentes ainda dentro do carro roubado. Com os dois menores os policiais encontraram um revólver calibre 32 e uma réplica de pistola calibre 380.    Ainda de acordo com a PM, um dos adolescentes é morador do bairro Conjunto Santa Maria, na Barragem Santa Lúcia, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, e o outro é morador do Citrolândia, em Betim.   Por morarem em pontos opostos, os adolescentes passaram a ser pressionados pelos policiais e acabaram confessando que se conheceram pelo Facebook e, na rede social, marcaram de se encontrar. O menor de 15 anos já teria passagem por roubo.   “Insustentável” Até hoje a cidade não possui um centro socioeducativo que possa receber os menores infratores, apesar de a Justiça de Betim ter bloqueado do Estado R$ 3,5 milhões para a instalação da unidade. Para o promotor municipal da Infância e Juventude, Raul Marcel, que, no fim do ano passado, ameaçou pedir a suspensão das apreensões na cidade caso os menores continuassem sendo mantidos em uma cela em condições desumanas na Delegacia Regional, a situação é insustentável. “As pessoas já estão cansadas de tanto descaso. As ocorrências envolvendo jovens na cidade cresceram muito. Infelizmente, esse é um problema que se arrasta há anos. É  preciso que haja um acordo entre o Estado e o município, que ficou de disponibilizar um imóvel ou terreno para que seja construído um centro socioeducativo”, destaca.   A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que a Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas (Suase) está em interlocução com a prefeitura para a busca de um local que possa ser adaptado para a criação de um centro socioeducativo. No entanto, os locais disponibilizados até então não atenderam às diretrizes do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), que prevê instalações físicas em condições adequadas de habitabilidade e segurança, onde possam ser desenvolvidas, dentre outras, atividades de escolarização, profissionalização, culturais e de lazer, além de atendimento integral à saúde.   Ainda segundo a pasta, enquanto isso, os adolescentes de Betim autores de atos infracionais mais graves cumprem medida de internação nas unidades da região metropolitana de Belo Horizonte.   Já a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), informou que outros dois imóveis devem ser vistoriados pelo Estado nos próximos dias.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave