Polícia descobre esquema de venda de drogas em festas de classe média

Investigações da operação Na Balada duraram três meses e resultaram no indiciamento de 16 pessoas

iG Minas Gerais | Camila Bastos |

Um  esquema de venda de drogas em festas de classe média alta em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, foi descoberto pela Polícia Civil da cidade. As investigações da operação Na Balada duraram três meses e resultaram no indiciamento de 16 pessoas – a maioria de alto poder aquisitivo e sem antecedentes criminais. Foram apreendidos 252 kg de maconha, além de LSD e cocaína.

De acordo com o delegado Thales Gontijo Cançado Junior, da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes de Patos de Minas, o foco inicial da investigação era a venda de drogas sintéticas e de cocaína em festas e boates da cidade. A venda da maconha também foi descoberta por estar ligada às mesmas pessoas, embora não fosse necessariamente vendida nos mesmo ambientes.

A droga era revendida em diversos pontos do município e da região, inclusive dentro de universidades e, principalmente, em grandes festas de música eletrônica. “Essas festas costumam durar 24 horas. Ninguém aguenta isso só tomando cerveja”, avaliou o delegado.

Prisões

O fornecedor da maconha era o bacharel em direito Fernando Noronha, 37, que adquiria a droga no Mato Grosso do Sul e repassava para Leandro Pereira dos Santos, 22. Este último era responsável por distribuir o produto para traficantes, que revendiam a maconha nas festas. Muitos desses envolvidos eram universitários e só conheciam Santos. A polícia ainda não descobriu quem levava o LSD e a cocaína para a cidade.

Apenas Noronha e a esposa Ana Paula de Oliveira, 28, têm antecedentes por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Os presos foram indiciados pelos mesmos crimes.

Também estão detidos em Patos de Minas Diego Caetano Alves, 19, Hugo Damasceno Lucas, 21, Ítalo Amâncio Marques, 20, Francisco Higor de Araújo, 21, Mateus Gonçalves Vidal, 19, Douglas Gonçalves Ferreira, 23, Pablo Silvestre Gontijo, 20, e Thiago Cristovam da Silva, 19.

Leandro e Ana Paula estão presos no Mato Grosso do Sul, junto com Cláudio César Batista Gonçalves, 35, e Alesionardo Aparecido Ferreira Oliveira, 21.

Um adolescente já foi ouvido e aguarda em liberdade a decisão do Juizado da Infância e da Juventude.

Apreensões

Foram encontrados pela polícia 252 kg de maconha vindos da cidade de Ponta Porã, na fronteira do Mato Grosso do Sul com o Paraguai. Também foram apreendidas 32 unidades de LSD e 78 papelotes de cocaína sem origem comprovada. Na casa de Fernando Noronha também foi encontrada grande quantidade de dinheiro.

Foragidos

Estão foragidos Thiago de Pádua Reis Carolino (conhecido como Canu), 26, e Éder de Oliveira Esteves (o Cocá), 28.

Estudantes

A droga vendida no esquema desarticulado pela Polícia Civil era composta por jovens estudantes de Patos de Minas e região. “Eles (os traficantes) atendiam usuários em geral, mas existe muita droga no meio universitário. Alguns vendiam, inclusive, dentro de universidades daqui”, explicou delegado Thales Gontijo Cançado Junior, da delegacia de Tóxicos e Entorpecentes de Patos de Minas.

De acordo com o policial, boa parte da droga apreendida seria vendida na festa Beats Patos, que aconteceu no último dia 18, Sexta Feira Santa, no Parque de Exposições da cidade. Compareceram milhares de jovens e o ingresso individual chegou a custar R$ 350.

Delivery Entre os presos, haviam dois frentista de um posto de gasolina de Patos de Minas, que realizavam o serviço de “Dique-Drogas”. Eles entregavam a domicilio os entorpecentes que eram pedidos por telefone.

Leia tudo sobre: Patos de Minas