Ativistas querem anular aumento de passagens nas linhas metropolitanas

Promotor de Patrimônio Público Eduardo Nepomuceno disse que ainda vai analisar as providências que serão tomadas pelo Ministério Público

iG Minas Gerais | Camila Bastos |

Os movimentos sociais Auditoria Cidadã e Tarifa Zero protocolaram nesta quinta-feira (24), no Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), um requerimento para que o órgão intervenha no aumento de 6,57% nas tarifas dos ônibus metropolitanos, que ocorreu no último dia 18.

Os ativistas esperam que o MPMG ingresse com uma ação judicial para suspender o aumento nas tarifas. “O reajuste já está onerando os usuários, principalmente a população mais pobre. Foi feito sem transparência e de forma sorrateira, logo antes do feriado”, afirmou o integrante do Tarifa Zero, André Veloso.

O promotor de Patrimônio Público Eduardo Nepomuceno disse que ainda vai analisar as providências que serão tomadas. “Provavelmente, daremos um encaminhamento semelhante ao que foi feito em Belo Horizonte, mas é uma situação mais complexa. Temos casos de concessões prorrogadas sem licitação, e já tivemos ações em que não conseguimos anular esses contratos”, explicou.

Os movimentos sociais também entregaram um relatório final criticando a auditoria que apontava a necessidade do reajuste municipal.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave